Arquivo da tag: regurgitação aórtica

Questões em cardiologia – eco

Qual doença cardíaca estrutural causa a alteração vista na aorta deste paciente?

desafio Questões em cardiologia   eco

httpv://www.youtube.com/watch?v=Umb3tAdfrcw&feature=BFa

PARA VER A RESPOSTA, CLIQUE NO LINK ABAIXO

 

Continue lendo

Eco – como graduar a insuficiência aórtica? – parte 1

Já falamos bastante sobre como graduar a insuficiência mitral pelo eco. Hoje falaremos sobre como graduar a regurgitação aórtica. O conceito de vena contracta usado na regurgitação mitral também serve nos casos de IAo. Atentar apenas para o ponto de corte superior que é diferente (valores acima de 6 mm já graduam a IAo como importante enquanto que na IM usa-se 7 mm). Outra forma bastante utilizada para saber se a IAo é leve, moderada ou importante é avaliar qual a proporção da via de saída do VE que é ocupada pelo jato regurgitante. Como assim? Vejam o vídeo abaixo:

httpv://www.youtube.com/watch?v=Xj9L7D-JFCU

Podemos ver o jato regurgitante da IAo ocupando parte da via de saída do VE.

IAo%20+%20VSVE Eco   como graduar a insuficiência aórtica?   parte 1

Mede-se então o diâmetro do jato regurgitante e compara-se com o diâmetro da via de saída do ventrículo esquerdo. 

Caso o jato ocupe menos de 25% da VSVE – IAo leve

Caso o jato ocupe entre 25% e 65% da VSVE – IAo moderada

Caso o jato ocupe mais do que 65% da VSVE – IAo Importante

Um macete bom para quem faz eco é dar um zoom na VSVE e após colocar o color passar um modo M. Isto irá deixar mais nítida a proporção entre o jato da IAo e a VSVE. Vejam como fica:

 Eco   como graduar a insuficiência aórtica?   parte 1

Neste caso o jato regurgitante tem 0,63 cm e a via de saída do ve tem 1,77 cm – proporção de 35% – sugere IAo moderada.

 Eco   como graduar a insuficiência aórtica?   parte 1

No caso acima não é nem necessário se medir as 2 dimensões uma vez que é nítido que a regurgitação aórtica ocupa praticamente toda a VSVE – ou seja – IAo importante.

Lembrar sempre que a avaliação das regurgitações valvares é bastante complexa e que nunca se deve bater o martelo sobre a sua intensidade por apenas um parâmetro. Podemos ter, por exemplo, um jato de IAo importante que por ser excêntrico não chega a ocupar mais do que 65% da VSVE. Nem por isso a regurgitação deixa de ser importante. É sempre bom avaliar vários parâmetros para se chegar a uma conclusão. Mais à frente falaremos de mais alguns destes parâmetros.

pixel Eco   como graduar a insuficiência aórtica?   parte 1