Hipertensão arterial sistêmica

Reversão de hipertrofia de ventrículo esquerdo está associada à diminuição de risco cardiovascular?

Thiago Midlej
Escrito por Thiago Midlej

A hipertrofia do ventrículo esquerdo (HVE) é um achado comum em pacientes hipertensos. Trata-se de uma resposta adaptativa à sobrecarga pressórica e está associada ao aumento de morbimortalidade para doenças cardiovasculares.

O estudo SPRINT (resumo aqui) avaliou hipertensos, não diabéticos, com metas de PAS < 120mmHg (tratamento intensivo) comparado a PAS <140mmHg e resultou em redução de morte por doença cardiovascular com tratamento intensivo. A redução dos eventos poderia ser explicada pela redução da HVE?

Com esse objetivo, um subestudo do SPRINT analisou 8164 pacientes sendo 4086 no grupo intensivo (<120mmHg) e 4078 no grupo padrão (<140 mmHg). Todos os pacientes foram submetidos à realização de ECG de 12 derivações a cada dois anos. HVE foi definida pelo índice de Cornell (R aVL + SV3 ≥ 20mm para mulheres e ≥ 28mm para homens). Não lembra quais os principais critérios para diagnóstico de HVE pelo ECG? Veja este post. Do total de pacientes, 7,4% tinham HVE sendo igual a prevalência nos dois grupos. Entre os pacientes que não apresentavam HVE, em um seguimento de 3.81 anos, 324 novas HVE ocorreram sendo 118 no grupo de tratamento intensivo e 206 no grupo padrão.

O tratamento intensivo foi associado a redução de 46% no risco de desenvolvimento de HVE. A regressão de HVE foi mais comum nos pacientes do grupo intensivo embora a melhora tenha ocorrido nos dois grupos. Dos pacientes que já apresentavam HVE, 62% apresentou regressão da hipertrofia, sendo 211 no grupo intensivo e 166 no grupo padrão. Esse efeito foi mais evidente nos portadores de doença cardiovascular prévia.

Resumo da ópera:

  • Tratamento de PA intensivo reduziu taxa de desenvolvimento de HVE em pacientes que não apresentavam essa patologia.
  • Tratamento intensivo resultou em maior regressão de HVE naqueles com HVE preexistente sendo efeito mais evidente em portadores de DCV.
  • O benefício da redução de risco cardiovascular associada ao tratamento intensivo não foi atenuado após ajuste para HVE

Os autores concluem que, embora haja redução e melhora da HVE, isso por si só, não parece explicar a redução de eventos cardiovasculares com o controle intensivo da PA evidenciado no SPRINT trial.

Referência:

Effect of Intensive Blood Pressure Lowering on Left Ventricular Hypertrophy in Patients with Hypertention: The Systolic Blood Presure Intervention (SPRINT) Trial.  Soliman et al; Circulation

Deixe um comentário

Sobre o autor

Thiago Midlej

Thiago Midlej

Especialista em Cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia​ e pelo Instituto do Coração da Faculdade de Medicina de São Paulo - I​NCOR​​.
Pós graduando da Unidade de Hipertensão do​​ I​NCOR​
Médico plantonista da Unidade Clínica de Emergência do INCOR
​​Cardiologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: