Coronariopatia Métodos complementares

Angiotomografia Coronária é melhor para confirmar ou para excluir coronariopatia?

Alexandre Volney
Escrito por Alexandre Volney

Todos sabemos que a doença coronariana é causa importante de morbidade e mortalidade em todo o mundo. Também é fato que essa doença pode existir durante longos períodos de forma assintomática ou com sintomas inespecíficos. Portanto, frequentemente o clínico se depara com quadros nem sempre típicos, nos quais, entretanto, a avaliação das coronárias é relevante.

A AngioTC coronária apresenta elevada acurácia diagnóstica em relação à angiografia invasiva, confirmada por grandes trials e revisões sistemáticas1,2, com sensibilidade variando de 85 a 99% e especificidade de 64 a 96% (mesmo em contexto de prevalência alta de DAC obstrutiva). Destaca-se seu alto valor preditivo negativo entre 83 a 100% para exclusão de doença. Esses dados sustentam sua grande aplicabilidade clínica, principalmente num contexto em que encontramos altas taxas de cateterismos cardíacos sem lesões significativas.

Além disso, a existência de doença coronária detectada pela AngioTC apresenta implicação prognóstica (entenda como sobrevida livre de eventos coronarianos maiores e mortalidade cardiovascular), que diminui tanto quanto maior o número de segmentos coronarianos acometidos e quanto, obviamente, maior o grau de estenose das lesões encontradas3.

Respondendo então a pergunta do post: É inegável que o elevado valor preditivo negativo faz da AngioTC um método excelente para EXCLUSÃO de DAC. Mas além disso, há evidências robustas de que a presença e extensão de doença coronária detectada pelo exame tem implicação prognóstica, gerando mudanças na condução, no tratamento e na aderência do paciente.

AngioTC – Representação tomográfica  utilizada para o estudo da anatomia e luminografia coronária e correlação com as demais estruturas cardíacas. Destaque para a artéria descendente anterior sem lesões obstrutivas.

Então não esqueça: Os pacientes com dor torácica e probabilidade pré-teste intermediária (o critério de Diamond-Forrester é o mais usado) podem ser investigados adequadamente pela AngioTC.

1.Vanhoenacker PK, Heijenbrok-Kal MH, Van Heste R, Decramer I, Van Hoe LR, Wijns W, et al. Diagnostic performance of multidetector CT angiography for assessment of coronary artery disease: meta-analysis. Radiology. 2007;244(2):419-28.

2.Miller JM, Rochitte CE, Dewey M, Arbab-Zadeh A, Niinuma H, Gottlieb I, et al. Diagnostic performance of coronary angiography by 64-row CT. N Engl J Med. 2008;359(22):2324-36

3. Hulten et al. Prognóstic Value of 64-Slice Cardiaca computed tomography J Am Coll Cardiol 2010, 55:1017-28

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Alexandre Volney

Alexandre Volney

Residência em Clínica Médica pelo Hospital do Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo (HC-FMUSP, 2007)
Residência em Cardiologia pelo Instituto do Coração (InCor-HCFMUSP, 2009),
Especialização em Tomografia e Ressonância Cardiovascular (InCor-FMUSP, 2009-2011)
Especialista em Ecocardiografia (SBC)

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: