Terapia Intensiva Cardiológica

Guia de medicamentos cardiovasculares: Milrinona

O milrinona é um inotrópico positivo que pode ser utilizado no tratamento da insuficiência cardíaca descompensada, em pós-operatório de cirurgia cardíaca ou em casos de insuficiência cardíaca avançada como ponte para transplante. Para dicas sobre o uso de inotrópicos clique aqui.

Indicação:

Inotrópico positivo e vasodilatador.

Mecanismo de ação: inibidor de fosfodiesterase III, com efeito inotrópico positivo e pouco efeito cronotrópico positivo. Vasodilatador direto (diminuição de pré e pós carga).

   Ao inibir a fosfodiesterase III, ele reduz a degradação do AMP cíclico. Maiores níveis de AMPc levam à um aumento da ativação da proteína quinase A, que vai fosforilar vários componentes do cardiomiócito como canais de cálcio e componentes do miofilamento. Assim, há um aumento de fluxo de cálcio para dentro da célula, o que aumenta a contratilidade. Isso permite estimular a função cardíaca de forma independente dos receptores beta-adrenérgicos.

  Início de ação em 5 a 15 minutos, pico plasmático em 2 minutos, duração de 3 a 5 hs. Para efeito hemodinâmico, faixa terapêutica de 100-300 ng/ml. Metabolizado no fígado (12%). Eliminado no rim (83% como droga não–metabolizada).

Apresentação:

Frasco-ampola de 1mg/ml (20ml)

Diluição (200mcg/ml):

              Soro Glicosado 5% 80ml        EV em bomba de infusão contínua

        + Milrinona       1 amp  – 20ml

Dose:

   Ataque: 50mcg/kg lentamente durante 10 minutos (opcional).

   Manutenção: 0,375 a 0,75mcg/kg/min. Dose total diária não pode ultrapassar 1,13mg/kg.

Cuidados: pode diluir em Soro Fisiológico 0,9% ou Soro Glicosado 5%. Precipita em contato com a furosemida e com procainamida. Infusão pode ser realizada por acesso periférico ou acesso central com bomba de infusão. Solução diluída pode ser mantida por 72hs.

   Correção para função renal:

Se ClCr 50ml/min –  0,43 mcg/kg/min.

Se ClCr 40ml/min –  0,38 mcg/kg/min.

Se ClCr 30ml/min –  0,33 mcg/kg/min.

Se ClCr 20ml/min –  0,28 mcg/kg/min.

Se ClCr 10ml/min –  0,23 mcg/kg/min.

Se ClCr 5ml/min   –  0,20 mcg/kg/min.

Contra-indicações: hipersensibilidade ao milrinona.

  Cuidado se: FA (controlar resposta ventricular antes de iniciar a droga), estenose hipertrófica sub-aórtica, distúrbio hidroeletrolíticos, hipotensão, infarto recente, doença valvar aórtica ou pulmonar grave, disfunção renal.

  Não associar a inibidores da fosfodiesterase-5, como sildenafil, tadalafil, vardenafil ou inibidores não-específicos da PDF-5 (como dipiridamol ou teofilina).

Não infundir furosemida na mesma via da milrinona uma vez que pode formar um precipitado.

Efeitos colaterais: mais comum (>10%) – arritmias ventriculares. 1-10%: arritmia supraventricular, cefaleia, hipotensão, angina / dor torácica. <1%: alteração de função hepática, anafilaxia, FA, broncoespasmo, hipocalemia, rash cutâneo, trombocitopenia, tremores, reação no local da infusão.
Uso na gravidez: classe C. Usar somente se os benefícios justicarem os potenciais riscos para o feto. Uso na lactação: desconhecido se a droga é excretada no leite materno. Usar com cuidado.

Nomes comerciais: Primacor®.

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Fernando Figuinha

Fernando Figuinha

Especialista em Cardiologia pelo InCor/ FMUSP
Médico cardiologista do Hospital Miguel Soeiro - Unimed Sorocaba.
Presidente - SOCESP Regional Sorocaba.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: