Insuficiência Cardíaca

Carvedilol para prevenção de cardiotoxicidade por antracíclicos

Fernando Figuinha
Escrito por Fernando Figuinha

Foi apresentado na sessão Late-Breaking Clinical Trials no congresso do ACC.18 o estudo CECCY, que avaliou a eficácia do uso de carvedilol na prevenção da cardiotoxicidade por antracíclicos em pacientes com neoplasia de mama.

200 pacientes foram randomizados para o uso de carvedilol ou placebo durante o tratamento com antracíclico (doxorrubicina, na dose de 240mg/m2). Pacientes apresentavam função ventricular normal ao início do estudo.

Foi um estudo unicêntrico, conduzido no Complexo do Hospital das Clínicas da FMUSP – InCor e ICESP).

O desfecho primário foi uma redução de 10% na fração de ejeção do VE em 6 meses de seguimento. Ocorreu em 14,5% no grupo carvedilol e 13,5% no grupo placebo (p não significativo).

Apesar disso, pacientes que utilizaram carvedilol tiveram menor elevação de troponina I (p 0,003) e menor incidência de disfunção diastólica (p 0,039), além de uma tendência à menores diâmetros diastólicos de VE (p ns).

Isso sugere que o carvedilol pode ter um papel em cardioproteção nesses pacientes. Haverá uma análise futura com seguimento de 2 anos desses pacientes.

Referência:

Monica Samuel Avila, Silvia Moreira Ayub-Ferreira et al. Carvedilol for Prevention of Chemotherapy Related Cardiotoxicity. JACC 2018. DOI: 10.1016/j.jacc.2018.02.049.

 

Publicidade

Banner Atheneu

Banner Curso Pré Operatório

Deixe um comentário

Sobre o autor

Fernando Figuinha

Fernando Figuinha

Especialista em Cardiologia pelo InCor/ FMUSP
Médico cardiologista do Hospital Miguel Soeiro - Unimed Sorocaba.
Presidente - SOCESP Regional Sorocaba.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: