Miscelânia

ATUALIZADO: CFM revoga resolução sobre certificado de atualização

 

O Conselho Federal de Medicina (CFM) revogou, através da Resolução 1.984/2012, a Resolução CFM 1.772/2005, que instituía o Certificado de Atualização Profissional (recertificação) para os portadores de títulos de especialista e certificados de áreas de atuação. Foi também extinta a CNA (Comissão Nacional de Acreditação), responsável pela implementação da recertificação dos títulos de especialista.

A resolução estabelecia que os médicos especialistas com certificados emitidos a partir de 1º de janeiro de 2006 deveriam submeter-se, obrigatoriamente, a cada cinco anos, ao processo de certificação de atualização, sob pena de perder o registro do título de especialista.

O CREMERJ foi a primeira entidade médica a questionar a resolução, por acreditar que ela só viria a onerar os médicos mais jovens e criar óbices aos novos especialistas, além de ser inconstitucional, pois feria o direito adquirido dos médicos especialistas, criando novas regras até então inexistentes.

"O Conselho do Rio sempre foi contra o recertificação, pois a nossa preocupação não é com os médicos que já conseguiram se especializar e sim com os colegas que por qualquer motivo não puderam prosseguir sua formação através da residência médica ou da titulação pelas sociedades. Para estes colegas, o CREMERJ tem organizado, também de forma pioneira, programação permanente de educação médica continuada, suprimindo a lacuna formacional ao difundir os conhecimentos médicos fundamentais para a prática da boa Medicina", ressaltou o conselheiro Paulo Cesar Geraldes.

 

RESOLUÇÃO CFM – http://www.portalmedico.org.br/resolucoes/CFM/2012/1984_2012.pdf

 

FONTE: http://www.cremerj.com.br/informes/mostra.php?id=1203

 

________________________________________________________________________________________________

Email da AMIB em relação ao CNA respondendo as nossas dúvidas.

 

De: "CNA" <[email protected]>
Data: 30 de março de 2012 16:59:26 BRT
Para:
Assunto: RES: Como esta a minha situação

Prezado,

Conforme oficio liberado pelo CFM, ele não faz mais parte da CNA.

A CNA dará continuidade ao processo junto com a AMB. A participação não é
mais OBRIGATÓRIA,
mas a AMB valoriza a atualização, berço cientifico da
medicina brasileira, em conjunto com as suas Sociedades.

O Título de Especialista terá validade indeterminada e a pontuação por ano
passa de 40 pontos para 100 pontos.

Para os médicos que alcançaram a atualização neste primeiro ciclo informamos
que o certificado está sendo confeccionado e será liberado em MAIO.

Att.

CNA
Fabiana

 

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Andre Lima

Andre Lima

Editor do site --
Especialista em Cardiologia pela SBC e InCor/ USP --
Especialista em Ecocardiografia pela SBC e InCor/USP --
Especialista em Terapia Intensiva pela AMIB --

24 comentários

    • VAMOS DIVULGAR ESTA NOTICIA NA REDE E CONSEGUIR MAIS APOIO A ESTA REVOGAÇÃO.
      ERA UM ABSURDO!!! SENTIA-ME ROUBADA! TENHO 2 TITULOS DE ESPECIALISTA E SOU DO NORDESTE. PARA CONSEGUIR OS 100 PONTOS PARA CADA TITULO TERIA QUE VIAJAR 4X/ANO PARA SAO PAULO GASTANDO POR ANO CERCA DE 20MIL REAIS, CANCELANDO CONSULTORIO E DEIXANDO MEUS FILHOS SOZINHOS!
      CHEGUEI AO PONTO DE ESCOLHER OS CONGRESSOS QUE PARTICIPARIA SÓ PELA PONTUAÇÃO CONFERIDA E NÃO PELA PROGRAMAÇÃO CIENTIFICA!

      • Tenho título de especialista em Alergia e Imunologia, Pediatria e de área de atuação em Pneumologia Pediátrica. Moro no interior do Paraná e tinha que gastar com quase R$ 35000,00 para ir para congressos para manter título (pois nunca me corrompi em trocar patrocínio de laboratório por prescrições).
        Sem falar que estes Congressos eram verdadeiros caça-níqueis, sempre em praias, muitos inscritos e pouca gente assistindo aula.

  • Otima noticia. Pelo menos agora vao cobrar valores justos pels congressos, pois antes cobravam o olho da cara para um congresso de 2 ou 3 dias. Na radiologia chega a 1200,00 R$. Conheco muitas posseas q so pagavam e nao iam, dai pegavam o certificado. Muito boa noticia. Vamos realmente ir em congressos com valores compativeis com o q se aprende.

  • Boa notícia. A sanidade sempre se sobressai, mesmo que isso demore um pouco às vezes. Ora, se tem algum tipo de cabimento a regra antiga que obrigava renovação a cada 5 anos. Isso era feito de forma quase leviana, descompromissada com a sociedade. Pensem que uma Sociedade Médica de determinada especialidade diria que determinado médico é especialista em algo, cinco anos depois ( caso o médico não tivesse os pontos exigidos) deixaria de ser reconhecido, então, como especialista. Ora!!!!!! Tem cabimento isso?? Além de uma heresia jurídica, direito adquirido juridicamente, ainda haveria o reconhecimento social associado ao título. Com a regra antiga, cabia muito bem um processo contra o CFM. Ainda bem que houve lucidez e coerência por parte di CFM para revogar o absurdo rm questão.

  • UMA DECISÃO ACERTADA SEM DÚVIDA. Talvez o próximo passo seria promover uma auditoria nas contas e afins de algumas sociedades de especialistas, que cobram uma anuidade exorbitante, promovem congressos que parecem uma festa de luxo e fazem com que as disputas por cargos majoritários se revertam de caráter sobrehumano, tal a quantidade de benefícios e amenidades envolvidas. Eu não conheço ou tenho notícia de que algum congresso de grande especialidade tenha sido um fracasso financeiro. Um bom dia à todos.

  • Colegas, me compadeço com os que gastaram com essa compra de pontos, isso é um absurdo, mercantilismo e roubo contra os médicos. Eu NUNCA me envolvi e NUNCA me preocupei com essa má prática, NUNCA me submeti aos ditames mercantilistas e políticos do CBR, e lhes digo: a tendência é piorar, como o resto de nosso país. Vagas pelo MEC sempre as mesmas, vagas de ESTÁGIOS POR INDICAÇÃO cada vez mais numerosas. Médicos medíocres e saídos de faculdades ruins jorrando para o mercado… Ultrassonografistas sem saber nada do que estão fazendo… Coitados dos pacientes!!!

  • Pessoal,
    não sei se a coisa é tão simples assim. Vejam o que diz o presidente da SBC neste link:
    http://www.cardiol.br/newsletter/Carteiro_news/2012/sbc-news/20120326-informe.htm
    Aparentemente continuará havendo o mesmo esquema de revalidação, pelo menos na cardiologia. E mais, ainda será cobrada esta taxa de 3% para que os créditos do congresso/evento sejam computados. Aparentemente o que mudará é apenas o destino do dinherio – ao invés de ser a CNA será a AMB…

    • Caro colega,
      Sou de outra especialidade e não consigo entender uma coisa: se foi revogada a resolução que CRIOU o sistema de revalidação, deveria ser interrompido e extinto TODO esse procedimento até nova resolução. Não acha?

    • Acho que o Dr.Jadelson Andrade não entendeu o “espirito da coisa”.Quem manda é o Conselho Federal de Medicina.Caro doutor,voce usou o termo “revalidar’ que não é mais obrigatório.O termo “atualização opcional” seria o mais correto,não acha?e digo mais:se alguém tiver que revalidar será para todos os profissionais,independente do ano de obtenção do titulo.Ou todos revalidarão ou ninguém eponto final.
      Gente,isso está me parecendo um “caça níquel” e outra:como pode um grupinho de pessoas decidirem sobre milhares de médicos?Será que o Dr.Jadelson “revalidou” o titulo dele?

  • Alguém sabe o que acontece na prática com aqueles que tem título de especialista com prazo de validade no verso? Parece que a AMB pretende continuar com o processo de recertificação a despeito da decisão do CFM.

    • Dsconcidera.Só valia quando era resolução.Agora foi extinto.Seu titulo tem validade igual ao de outro médico que o obteve ha 10 anos.

  • Entrem no site da CNA e procurem na lista de “aprovados” o nome de algum médico com título de especialista anterior a 2006 e que faça parte de alguma destas comissões que cuidavam da revalidação ou da diretoria de alguma sociedade de especialidade… Por que será, que eles que zelavam pela notoriedade da revalidação, não aderiram ao programa?
    Será que o fato de ser mais velho te torna mais inteligente ao ponto de não precisar se atualizar?

  • INCRÍVEL!!!!! Até que enfim uma notícia boa que esbanja coerência. Primeiro que a recertificação onera nós médicos especialistas, pois além de arcarmos com os valores exorbitantes dos congressos médicos, ainda temos de nos preocupar com o valor da locomoção diária e da viagem, alimentação e estadia. Sem contar que deixamos de produzir, ou seja, de trabalhar e ganhar dinheiro. Segundo que o sensato seria exigir recertificação dos especialistas mais antigos, que obviamente em teoria estariam mais desatualizados com a especialidade. PARABÉNS ao CFM por ter voltado atrás nessa decisão descabida de exigir recertificação principalmente dos colegas que conseguiram seus mais recentemente.

  • Boa notícia. Adeus acreditação. Essa acreditação é muito mercantilista e pouco científica…outro absurdo é a taxa de lixo médico cobrada em São Paulo (capital), se o nosso CRM e CFM, não se manifestar contra isso logo, rapidinho vai virar imposto federal para os médicos.

  • A AMB está “doidinha”.Já pensou acabar a “arrecadação”?Esse negócio de CNA-CAP é mais um engodo contra os médicos.Âbsurdo!parabéns atual diretoria do CFM,porque foi a diretoria anterior junto com a AMB que criaram este “crime” contra a classe médica.

  • O CFM foi irresponsável em 2005 em criar esse “monstrinho” que se chama CNA.A atual gestão tem juizo e percebeu o absurdo contra os médicos.ninguém é obrigado a nada……Voces notaram a composição atual do CFM?Só tem médico maduro e com muitos anos de prática médica.PARABÉNS CFM E QUE DEUS ABENÇOE TODOS VOCES POR PRESTAREM UM GRANDE SERVIÇO AOS MÉDICOS DESTE PAÍS.ORGULHO-ME DO CFM.

  • A SBC foi clara… continua existindo a revalidação, e ficará ainda mais caro, pois teremos que “pagar” pelos pontos;O que muda é o destino do dinheiro.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: