Insuficiência Cardíaca

Como diferenciar ascite de origem hepática e de origem cardíaca pela paracentese?

Eduardo Lapa
Escrito por Eduardo Lapa

Algumas cardiopatias podem ser causa de ascite. Comumente isto ocorre em pctes com síndrome restritivas (ex: endomiocardiofibrose) ou com pericardite constritiva mas também pode ser observado em pacientes com insuficiência tricúspide importante, hipertensão pulmonar importante, entre outros. Dessa forma, é essencial que o médico saiba diferenciar ascite de origem hepática e de origem cardíaca pela paracentese.

Ao exame clínico, uma dica simples para pensar em etiologia cardiogênica para a ascite é ver se há presença de turgência jugular relevante com o pcte deitado em decúbito de 30 a 45 graus.

Pela paracentese, tanto a ascite de origem hepática (ex: cirrose) quanto a de origem cardiogência se apresentam com o gradiente soro-ascite de albumina (GASA) maior ou igual a 1,1g/dL. Além disso, a celularidade do líquido nestes 2 etiologias costuma ser baixa. Como diferenciar então as 2 causas apenas pela análise do líquido ascítico?

Dica:

– ascite de origem hepática – a proteína total do líquido ascítico costuma ser < 2,5 g/dL

– ascite de origem cardíaca –  a proteína costuma ser > 2,5-3 g/dL

Referência: Runyon BA. Evaluation of adults with ascites. Uptodate 2016.

Publicidade

Banner Atheneu

Banner Curso Pré Operatório

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto:
X