Insuficiência Cardíaca

Como diferenciar ascite de origem hepática e de origem cardíaca pela paracentese?

Eduardo Lapa
Escrito por Eduardo Lapa

Algumas cardiopatias podem ser causa de ascite. Comumente isto ocorre em pctes com síndrome restritivas (ex: endomiocardiofibrose) ou com pericardite constritiva mas também pode ser observado em pacientes com insuficiência tricúspide importante, hipertensão pulmonar importante, entre outros.

Ao exame clínico, uma dica simples para pensar em etiologia cardiogênica para a ascite é ver se há presença de turgência jugular relevante com o pcte deitado em decúbito de 30 a 45 graus.

Pela paracentese, tanto a ascite de origem hepática (ex: cirrose) quanto a de origem cardiogência se apresentam com o gradiente soro-ascite de albumina (GASA) maior ou igual a 1,1g/dL. Além disso, a celularidade do líquido nestes 2 etiologias costuma ser baixa. Como diferenciar então as 2 causas apenas pela análise do líquido ascítico?

Dica:

– ascite de origem hepática – a proteína total do líquido ascítico costuma ser < 2,5 g/dL

– ascite de origem cardíaca –  a proteína costuma ser > 2,5-3 g/dL

Referência: Runyon BA. Evaluation of adults with ascites. Uptodate 2016.

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: