Métodos complementares

Como interpretar os valores de strain do ecocardiograma?

Eduardo Lapa
Escrito por Eduardo Lapa

Esta publicação também está disponível em: pt-brPortuguês esEspañol

Já falamos bastante sobre strain neste post. Dos parâmetros que podem ser calculados, o mais popular é o strain longitudinal global (SLG). Ele é um marcador mais sensível que a fração de ejeção para detectar alterações da função sistólica do ventrículo esquerdo. OK. Mas o problema é que a maioria dos cardiologistas não sabe interpretar os números no laudo. Se eu lhe digo que seu paciente tem uma fração de ejeção de 60%, você imediatamente sabe que isso é normal. Já se eu digo que é de 27%, você sabe que está frente a um problema a ser investigado e tratado da forma adequada. Mas e em relação? Ah, Eduardo, mas não estou interessado em saber isso. Coisa muito específica de ecocardiografista. Não é não. Cada vez mais o SLG se solidifica como um parâmetro útil no dia a dia do consultório. Vide os pacientes em avaliação para cardiotoxicidade por quimioterápicos. Então, você que faz consultório precisa sim saber interpretar os valores. Mas fica tranquilo que a gente te ajuda. Segue um mapa mental bem didático:

Curso Questões Cardiopapers

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site

%d blogueiros gostam disto: