Métodos complementares

Como Orientar Atividade Física? PARTE 1- Avaliação Física.

Image courtesy of [Sura Nualpradid,] / FreeDigitalPhotos.net

 

Recentemente foi divulgada pelo Ministério da Saúde uma pesquisa ( VIGITEL) que indica que a população brasileira, à semelhança da tendência mundial, está  engordando cada vez mais. Os últimos dados indicam que 51,6% dos brasileiros estão com sobrepeso ou obesidade.

A informação de que o excesso de peso pode prejudicar a saúde já é bem conhecida de todos. O problema é estabelecer como perder peso. Uma das principais ferramentas para este objetivo é a prática de atividade física e é esse tema que iremos discutir.

DEFINIÇÕES:

Atividade física é considerada qualquer atividade corporal voluntária realizada por músculos esqueléticos que levem ao gasto energético acima do  nível basal.

Exercício físico é uma atividade física estruturada, sistematizada e realizada de acordo com objetivos pré-estabelecidos.

Esporte pode ser definido como um sistema ordenado de práticas corporais de relatividade complexidade que envolve atividades de competição institucionalmente regulamentada, que se fundamenta na superação de competidores ou de marcas e/ou resultados anteriores estabelecidos pelo próprio esportista.

 

AVALIAÇÃO FÍSICA:

A primeira etapa da orientação quanto ao exercício físico é a avaliação da capacidade funcional do paciente. Devemos analisar os seguintes itens:

  • Exame clínico e história de eventos  prévios. Antecedentes individuais e familiares.  Avaliação de medicamentos em uso;
  • Aspectos posturais, neurológicos e vasculares;
  • Composição Corporal e medidas antropométricas
  • Medida da frequência cardíaca e pressão arterial em repouso e exame objetivo com abordagem especial para estenose de via de saída do ventrículo esquerdo (VE),
  • Exames complementares.

 

Como ferramenta de auxílio a anamnese  , pode-se utilizar o Questionário de Prontidão  para a Atividade Física ( PAR-Q) desenvolvido no Canadá.

 

Fonte: Diretriz em Cardiologia do Esporte e do Exercício da Sociedade Brasileira de Cardiologia e da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte. Arq Bras Cardiol. 2013;100(1Supl.2):1-41

O espectro de exames complementares para avaliação do sistema cardiovascular é imenso e deve ser individualizado, levando-se em consideração se o paciente é saudável ou portador de alguma patologia.

De maneira geral, é comum a solicitação de ECG de repouso e em alguns casos o Teste de esforço ( “ergométrico”) .

Na tabela abaixo relacionamos as indicações formais de solicitação de Teste de esforço:

Indicações de Teste de Esforço ( ergométrico ) em avaliação para prática de exercício Físico:

Homens com mais de 35 anos de idade;

Mulheres com mais de 40 anos de idade;

Portadores de 2 ou mais fatores de risco para doença coronariana;

Candidatos a prática de exercícios  vigorosos e/ou competitivos;

Indivíduos portadores de doença cardíaca em qualquer faixa etária

 

A participação do educador físico é essencial para o sucesso da prática, onde o profissional utilizará os parâmetros e informação contidas na avaliação médica para complementar o a prescrição do exercício e acompanhamento do paciente.

 

Nos próximo artigo, discutiremos os tipos e diferenças dos exercícios físicos  e em seguida como orientar os objetivos e limites destas atividades.

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Andre Lima

Andre Lima

Editor do site --
Especialista em Cardiologia pela SBC e InCor/ USP --
Especialista em Ecocardiografia pela SBC e InCor/USP --
Especialista em Terapia Intensiva pela AMIB --

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: