Emergências

Como tratar pacientes com tempestade elétrica? Betabloqueador faz diferença?

Alexandre Soeiro
Escrito por Alexandre Soeiro

Estudo prospectivo, randomizado e cego, publicado recentemente comparou o uso de propranolol versus metoprolol em pacientes com tempestade elétrica (TE) e CDI. Foram incluídos pacientes com TE iniciada 24 horas antes da admissão. O desfecho primário foi o tempo de última ocorrência de FV/TV com necessidade intervenção do CDI. Foram randomizados 60 pacientes para receber propranolol 40mg 6/6h ou metroprolol 50mg 6/6h. Todos receberam amiodarona em conjunto. A fração de ejeção media era de 25%.

Entre 7 e 36 horas após o início das medicações, houve diferença significativa na redução de FV/TV em pacientes que receberam propranolol (IRR = 0,375, p = 0,001).

Dessa forma, a associação nas primeiras 48 horas de propranolol foi superior ao metoprolol na redução de eventos e controle de arritmias ventriculares. Não foi realizada análise de mortalidade.

Referência: JAAC. 2018;71(17).

Publicidade

Banner Atheneu

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Alexandre Soeiro

Alexandre Soeiro

Alexandre de Matos Soeiro

Médico Assistente e Supervisor da Unidade Clínica de Emergência - InCor (HCFMUSP).
Coordenador do Curso Nacional em Emergências Cardiológicas •
Coordenador da Liga de Emergências Cardiovasculares do InCor - HCFMUSP. •
Professor Convidado de Graduação do Terceiro, Quarto e Sexto Anos da FMUSP.
Médico Preceptor em Cardiologia - InCor - HCFMUSP - 2011.
Especialista em Cardiologia pela SBC.
Residência Médica em Cardiologia -InCor - HCFMUSP.
Especialista em Clínica Médica pela SBCM.
Residência em Clínica Médica - HCFMUSP.
Graduação em Medicina pela FMUSP.

1 comentário

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: