Congênitas

Comunicação interatrial (CIA): perguntas e respostas rápidas

Cleusa Lapa
Escrito por Cleusa Lapa

Esta publicação também está disponível em: Português Español

Resumão de pontos importantes que você tem que saber sobre comunicação interatrial (CIA)

Quais os tipos de CIA?

Há 4 tipos de comunicação interatrial: ostium secundum, ostium primum, tipo deio venoso (pode ser superior ou inferior) e tipo seio coronário.

Qual o tipo mais comum de comunicação interatrial?

Ostium secundum!!!

E sobre os outros defeitos? O que preciso saber?

1-“ostium primum” também denominado de defeito do septo atrioventricular. Corresponde a cerca de 20-30% %

2-Defeitos do seio venoso são infrequentes. Constituem cerca de 5% dos defeitos septais atriais. Podem ser localizados abaixo da veia cava superior, imediatamente abaixo da junção da VCS e átrio direito (costumando vir acompanhada de drenagem anômala parcial da veia pulmonar superior direita) e na veia cava inferior, abaixo do forame oval.

3- ao nível do seio coronário ( menos frequente, correspondendo 3% dos defeitos )

O que eu tenho que lembrar de procurar quando vejo um caso de comunicação interatrial?

Checar se há drenagem anômala de veias pulmonares associada. Esta ocorre em apenas 10% dos casos de CIA tipo ostium secundum mas é encontrada na maioria dos casos de CIA tipo seio venoso, por exemplo.

Qual a diferença entre comunicação interatrial e forme oval patente?

Na cia existe de fato uma falha na fossa oval o que gera um orifício claro neste local. Já no FOP, o que ocorre é que as duas lâminas que normalmente se sobrepoem na fossa oval fechando este local terminam permitindo o fluxo de sangue entre os átrios.

Quais os sintomas mais comuns na comunicação interatrial?

Intolerância aos esforços e palpitações (estas podem ser secundárias a arritmias supraventriculares como FA e flutter)

Dispneia por comunicação interatrial costuma ocorrer em pacientes jovens (ex: adolescentes)?

Não. Classicamente a dispneia da CIA costuma surgir após os 40 anos.

Qual o achado clássico do exame físico na CIA?

Desdobramento fixo da segunda bulha. Lembrando de alterações da B2:

CIA pode dar sopro?

Sim. Tipicamente ausculta-se sopro sistólico ejetivo em foco pulmonar.

O sopro da CIA ocorre devido ao fluxo entre os átrios?

Não!!!! O fluxo de sangue entre os átrios tem um gradiente de pressão baixo o qual não é o suficiente para gerar sopro audível. O que ocorre é que há um hiperfluxo de sangue nas câmaras direitas e este pode causar sopro em foco pulmonar devido ao excesso de sangue que passa pela valva pulmonar na sístole. Em alguns casos pode-se também auscultar um sopro diastólico em foco tricúspide devido ao hiperfluxo através desta valva. A figura abaixo resume os principais aspectos auscultatórios da CIA:

CIA pode fechar sozinha?

Sim! A maioria dos defeitos ‹5mm tendem a fechar nos primeiros 2 anos de vida enquanto os ›8-10mm, não.

O que é a Síndrome de Lutembacher?

Sindrome de Lutembacher é a associação de CIA com Estenose mitral ( reumática em origem ). Você pode ler mais sobre esse assunto neste post.

O que posso ver no ECG do paciente com CIA?

Depende da localização e do tamanho da CIA. Na infância e nos adultos jovens o ritmo na maioria das vezes é sinusal. Após 4ª década de vida pode se encontrar Flutter ou Fibrilação atrial. Na CIA OS pequena o ECG pode ser normal. Nos casos de comunicações moderada/grande ocorre um padrão de rsR’ em V1. Exemplo:

E na radiografia de tórax da CIA ostium secundum? O que posso ver?

Defeitos sem repercussão hemodinâmica podem se apresentar com Radiografia de tórax normal.. Defeitos com  moderada/importante repercussão apresentam cardiomegalia de graus variáveis as custas de VD e AP

Qual a melhor janela do ecocardiograma para dar o diagnóstico de CIA?

Subcostal. O corte apical pode dar resultados “falso positivo” em decorrência de “drop-out” ( feixe do ultra som paralelo ao septo)

Qual o papel do eco transesofágico no paciente com CIA?

Pode ser utilizado quando as imagens do eco transtorácico são inconclusivas( pode ser particularmente útil na definição de CIA tipo seio venoso )

Usado para guiar fechamento da CIA por via percutânea.

Quando pedir cateterismo cardíaco para o paciente com comunicação interatrial?

Atualmente reservado para casos especiais como pacientes com hipertensão arterial pulmonar para avaliação de pressão e cálculos de fluxo e resistência. Outra indicação seria em pacientes após 4ª década de vida para avaliar leito vascular coronário.

Que medicação fazer para o paciente com comunicação interatrial e sintomas?

Casos que apresentam sintomas devem ser tratados com medicação anti congestiva ( diurético ) até tratamento cirúrgico ou percutâneo

Quando indicar tratamento intervencionista na comunicação interatrial?

Que tipo de intervenção fazer?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Curso Cardiopapers

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Cleusa Lapa

Cleusa Lapa

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: