Miscelânia

Dabigatran para prótese valvar mecânica?

O uso do dabigatran já foi aprovado em alguns cenários, tais como prevenção de eventos tromboembólicos em pacientes com FA não valvar ou para prevenção de trombose venosa profunda. Seu uso em outros casos, como por exemplo anticoagulação em pacientes com prótese valvar mecânica, ainda não foi adequadamente avaliado.

Para responder a essa questão foi elaborado o estudo RE-ALIGN – estudo de fase 2 que buscava avaliar pacientes que iniciaram anticoagulação logo após a cirurgia de troca valvar (mecânica – aórtica, mitral ou ambas) ou naqueles que haviam sido submetidos à implante de valva mitral mecânica 3 meses ou mais antes da randomização. Pacientes eram randomizados para receber por 12 semanas dabigatran 150mg, 220mg ou 300mg duas vezes ao dia ou varfarina.

O estudo foi encerrado precocemente já que houve tendência a aumento na incidência de eventos trombo-embólicos em 1 ou mais das dosagens testadas de dabigatran, segundo informado pelo laboratório Boehringer-Ingelheim.

Isso reforça que esses novos anticoagulantes não devem ser prescritos para pacientes que se encontram em alguma situação ainda não avaliada por grandes estudos, como pacientes com prótese valvar metálica ou com FA valvar, pelo menos até que apareça alguma evidência científica indicando o contrário.

Deixe um comentário

Sobre o autor

Fernando Figuinha

Fernando Figuinha

Especialista em Cardiologia pelo InCor/ FMUSP
Médico cardiologista do Hospital Miguel Soeiro - Unimed Sorocaba.
Presidente - SOCESP Regional Sorocaba.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: