Coronariopatia Prevenção

Dormir pouco aumenta o risco de aterosclerose?

Eduardo Lapa
Escrito por Eduardo Lapa

Esta publicação também está disponível em: pt-brPortuguês

Todo mundo já escutou algo como:

A quantidade recomendada de sono é de pelo menos 8h por dia…

Mas, quem foi que disse isso? Para médicos então conseguir dormir 8h seguidas não é um cenário muito factível na hora que você coloca plantões, carga horária de trabalha exaustiva, etc. Na última semana foi publicado no JACC um interessante estudo sobre horas de sono x aterosclerose subclínica.

Dados do estudo:

  • Boa parte dos estudos prévios que haviam avaliado a relação de duração do sono e aterosclerose usaram questionários em que os pacientes reportavam quantas horas que achavam que dormiam por dia. Isso obviamente deixava a mensuração pouco objetiva e bastante susceptível a vieses.
  • O estudo avaliou quase 4.000 pacientes entre 40 e 54 anos que não possuíam doença cardiovascular prévia.
  • Os pacientes eram submetidos a ultrassom 3D de carótidas e femorais além de tomografia de tórax para avaliar o escore cálcio.
  • A quantidade de sono foi medida por um acelerômetro colocado na cintura do paciente. Basicamente ele avalia se o paciente está se movimentando ou não e através de algoritmos define se o paciente está dormindo ou acordado. A partir disso os pctes eram divididos em grupos. <6h por dia = sono muito curto, 6-7h = sono curto; 7-8h = sono normal; >8h = sono longo. Também era avaliada a qualidade do sono a depender da quantidade de movimentos durante o sono e de outros parâmetros.
  • 2 em cada 3 pacientes tiveram sono curto ou muito curto.
  • Quando comparados os pacientes com sono muito curto (<6h) com o grupo padrâo (entre 7 e 8h de sono por dia), houve aumento de prevalência de aterosclerose em territórios não coronarianos. Não houve relação de sono com a presença de calcificação em coronárias.
  • Pacientes com sono muito fragmentado também apresentaram maior prevalência de aterosclerose não coronariana. 
  • Todos os cálculos acima foram feitos tentando eliminar fatores confundidores já que pessoas que dormem menos, por exemplo, podiam ter outros hábitos de vida menos saudáveis como fumar mais e beber mais (isso de fato foi observado no estudo).

OK. Então fica claro que pouco sono CAUSA aterosclerose, certo? Não. Trata-se de um estudo transversal e não longitudinal. Desta forma, não se pode inferir causalidade por esta associação. De toda forma, é um dado relevante já que mostra que há ASSOCIAÇÃO entre os dois fatores (menos sono x mais aterosclerose) o que ratifica vários dados de literatura que sugerem que exista uma quantidade ideal de sono diário. Notar que o próprio estudo avaliou também a questão da qualidade do sono. Ou seja, não é tão simples quanto dizer que se dorme x horas por dia está ruim ou bom. Teríamos que avaliar também a qualidade do sono do paciente.

Referência: Dominguez F et al. Association of Sleep Duration and Quality With Subclinical Atherosclerosis. J Am Coll Cardiol 2019.

Curso Preparatório

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

Deixe um comentário

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
X