Arritmia Coronariopatia

FA e Doença coronariana estável: é possível parar a aspirina?

Pacientes com doença coronariana tem indicação de utilizar terapia anti-agregante a longo prazo. Pacientes com fibrilação atrial (FA) crônica com risco de eventos embólicos necessitam em geral de anticoagulação. E quando nossos pacientes tem essas duas doenças? Podemos combinar todas essas medicações? Sabe-se que o uso da terapia tripla (dupla anti-agregação + anticoagulação) aumenta consideravelmente o risco de sangramento.

O estudo WOEST já havia demonstrado em pacientes com fibrilação atrial (FA) e doença coronariana, que no primeiro ano após colocação de stent, o uso de clopidogrel + varfarina foi superior ao uso de clopidogrel + aspirina + varfarina (apresentou menor risco de sangramento – ver esse link).

Agora o estudo CORONOR avaliou os pacientes com FA e doença coronariana estável (com pelo menos 1 ano após um infarto ou uma revascularização coronariana).

Esse estudo avaliou 4.184 pacientes nesse cenário. Em um seguimento de 2 anos, ocorreram 51 sangramentos maiores. O sangramento maior foi um preditor independente de morte (HR 2,89 – IC 1,73-4,83).

O risco de sangramento associado ao uso da varfarina foi significativo somente quando utilizado associado ao AAS – HR 7,3 (IC 3,91-13,64) vs HR 1,69 (IC 0,39-7,30) em pacientes em uso somente da varfarina.

Em relação aos desfechos isquêmicos (morte cardiovascular, IAM, AVC não hemorrágico), não houve diferenças entre esses 2 grupos.

Esse estudo sugere que o risco de sangramento associado ao uso da aspirina excede qualquer benefício relacionado à sua prevenção de eventos isquêmicos, em pacientes já em uso de varfarina.

O estudo CORONOR foi um estudo observacional. Assim, não podemos definir como uma verdade esses resultados apresentados e aplicá-lo em todos nossos pacientes. Mas, para pacientes de alto risco de sangramento com FA e doença coronariana estável, nos dá um embasamento para pensar em suspender a aspirina, mantendo somente a varfarina.

Referência: Hamon M, Lemesle G, Tricot O, et al. Incidence, source, determinants, and prognostic impact of major bleeding in outpatients with stable coronary artery disease. J Am Coll Cardiol 2104; 6 4: 1430-1436.

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Fernando Figuinha

Fernando Figuinha

Especialista em Cardiologia pelo InCor/ FMUSP
Médico cardiologista do Hospital Miguel Soeiro - Unimed Sorocaba.
Presidente - SOCESP Regional Sorocaba.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: