Coronariopatia Insuficiência Cardíaca

Fração de ejeção < 35% + cate multiarterial = revascularização? O que diz a diretriz brasileira?

Eduardo Lapa
Escrito por Eduardo Lapa

Esta publicação também está disponível em: pt-brPortuguês esEspañol

Recentemente publicamos um post falando porque as diretrizes devem seguir apenas como guias e não como regras rígidas a serem seguidas. Citamos como exemplo as recomendações das diretrizes americana e europeia em relação à revascularização miocárdica cirúrgica em pacientes com critérios similares ao do estudo STICH. Basicamente: FE < 35% + quadro clínico de IC + cate multiarterial passível de revascularização cirúrgica. Em resumo, enquanto a diretriz americana coloca como indicação IIb fazer a revasc (ou seja, considerar em alguns casos) a diretriz europeia como classe I (fazer de forma rotineira). E como fica a situação de quem vai prestar a prova de título em cardiologia da SBC? O melhor é seguir as recomendações das diretrizes nacionais. E o que dizem estas:

  • Em pacientes similares ao do estudo STICH, revascularização miocárdica cirúrgica é recomendada (IB).

Ou seja, a diretriz da SBC segue a linha da diretriz europeia. Não vai errar na hora da prova.

Curso Preparatório

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: