Sem categoria

Guia de medicamentos cardiovasculares: Rivaroxabana

A rivaroxabana é um anticoagulante oral que age inibindo a ação do fator de coagulação Xa.

Apresentação: comprimidos de 10mg, 15mg ou 20mg

Indicação e Posologia:

– Profilaxia de eventos embólicos em pacientes com fibrilação atrial não valvular – dose: 20mg VO 1x por dia (ou 15mg 1x por dia se ClCr entre 30 e 50ml/min).

– Tratamento de trombose venosa profunda (TVP) e embolia pulmonar (TEP) – dose: 15mg VO 2x por dia por 3 semanas, seguido de 20mg VO 1x por dia após.

– Profilaxia de TVP em artroplastia de quadril ou joelho – dose 10mg VO 1x por dia por 5 semanas ou por 2 semanas, respectivamente.

Mecanismo de ação: inibidor direto altamente seletivo do fator Xa.

Cuidados: tomar sempre após se alimentar. O comprimido pode ser triturado e misturado com água se dificuldade para deglutir ou se sondas gástricas.

  Em casos de cirurgia, interromper 24-48 h antes do procedimento.

  Em profilaxia de cirurgia ortopédica, reiniciar o uso da rivaroxabana 6 a 10hs após o término da cirurgia, contanto que tenha sido estabelecida a hemostasia.

Troca de anticoagulantes:

– AVK para Rivaroxabana: se o paciente estiver tomando algum antagonista da vitamina K (ex.: varfarina), suspender a medicação, e iniciar rivaroxabana assim que o INR estiver < ou = a 3,0 se prevenção de AVC  ou < ou = a 2,5 para profilaxia de TVP ou TEP recorrentes.

– Rivaroxabana para AVK: nos primeiros dias tomar junto rivaroxabana e AVK. Suspender rivaroxabana quando INR > ou =  a 2,0.

– Heparina não fracionada (HNF) EV para rivaroxabana: iniciar rivaroxabana assim que desligar a bomba de infusão contínua da heparina.

– Heparina de baixo peso molecular (HBPM) SC para rivaroxabana: iniciar rivaroxabana 0 a 2hs antes do horário da próxima dose da HBPM.

– Rivaroxabana para Heparina: iniciar heparina (HNF ou HBPM) no horário da próxima dose da rivaroxabana.

Contra-indicações: hipersensibilidade à droga. Hemorragia ativa clinicamente significativa. Doença hepática associada a coagulopatia e risco de hemorragia clinicamente relevante (Child Pugh B e C).

Não é recomendado o uso em pacientes com ClCr < 15 ml/min.

Efeitos colaterais: sangramento, anemia. Cefaléia, boca seca, urticária.

Uso na gravidez: C. Não deve ser utilizada na gravidez ou durante o período de amamentação. Dados em animais sugerem que a rivaroxabana atravessa a barreira placentária e é secretada em pequenas quantidades no leite materno.

Nomes comerciais: Xarelto®.

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Fernando Figuinha

Fernando Figuinha

Especialista em Cardiologia pelo InCor/ FMUSP
Médico cardiologista do Hospital Miguel Soeiro - Unimed Sorocaba.
Presidente - SOCESP Regional Sorocaba.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: