Hipertensão arterial sistêmica

Hidroclorotiazida – droga de primeira linha para hipertensão?

Sempre acreditou-se no uso de tiazídicos como droga de primeira linha para tratamento da hipertensão (HA). Em 97% dos casos, a droga escolhida é a hidroclorotiazida (HCT), nas doses de 12,5 a 25mg por dia. Em 2008, nos Estados Unidos, mais de 134 milhões de prescrições foram feitas com HCT (um terço em monoterapia). A segunda droga mais prescrita foi o atenolol, com 44 milhões de prescrições.

Uma meta-análise publicada recentemente no Journal of the American College of Cardiology (JACC) comparou o efeito de diversas drogas anti-hipertensivas na pressão arterial (PA) em 24hs. A queda da PA sistólica e diastólica com o uso de HCT 12,5 a 25mg foi significamente menor quando comparado a inibidores da ECA, bloqueadores do receptor de angiotensina, betabloqueadores e bloqueadores do canal de cálcio. Já quando comparamos essas drogas com HCT 50mg/dia, não houve diferença estatística.

Mas ao utilizar altas doses de HCT, é mais comum a ocorrência de efeitos colaterais, tais como hipocalemia, hiponatremia, hiperuricemia e resistência à insulina. Além disso, não há evidências que o uso de HCT nas doses habituais (12,5 a 25mg/dia) possam reduzir desfechos como IAM, AVC ou morte. Todos estudos que mostraram benefício em algum desses desfechos foram realizados ou com doses maiores de HCT ou com outro tiazídico, como a clortalidona ou a indapamida.

Resumindo, a eficácia anti-hipertensiva da HCT nas doses 12,5 e 25mg diárias é consistentemente inferior quando  comparada com outras classes de drogas. Assim, a HCT nessa dose não deve ser utilizada como primeira linha no tratamento da HA. Se optar pelo uso de algum tiazídico, preferir clortalidona ou indapamida.

Referência: Messerli FH, Makani H, Benjo A, Romero J, Alviar C, Bangalore S. Antihypertensive efficacy of hydrochlorothiazide as evaluated by ambulatory blood pressure monitoring. J Am Coll Cardiol 2011;57:590-600.

Deixe um comentário

Sobre o autor

Fernando Figuinha

Fernando Figuinha

Especialista em Cardiologia pelo InCor/ FMUSP
Médico cardiologista do Hospital Miguel Soeiro - Unimed Sorocaba.
Presidente - SOCESP Regional Sorocaba.

7 comentários

  • Esse tópico é bem interessante mesmo. Todos usam hidroclorotiazida como primeira escolha citando o clássico ALLHAT mas neste trial a medicação utilizada foi a clortalidona. É o velho exemplo das pessoas que seguem os guidelines sem se preocupar de saber de onde veio a evidência por trás dos mesmos.

  • Olha ,muito interessante … muitos utilizam essa drogam como monoterapia e de acordo os estudos pouco efeito anti hipertensivo na dose preconizada 12,5 e 25 …50 ja montao de efeitos colaterais ,melhor opçao e mesmo combinaçao ou clortalidona como mono.

  • duvida: porque usar clortalidona e nao HCT como monoterapia? existe algo descrito na literatura sobre sindrome metabólica (aumento de glicemia) em doses baixas? obrigada

    • Como o post falou, os estudos que mostram diminuição de desfechos duros (mortaldiade, avc, etc) foram feitos com clortalidona e não com hidrocloro…

  • MEU DEUS CADA UM DIZ UMA COISA ,JA ME DISSERAM QUE A HCT É A MELHOR OPÇÃO PARA HA,AGORA VEJO AQUI QUE NÃO É….E AGORA MEU DEUS ?…

    • A HCT é ainda uma boa opção para controle da HA…é mais acessível que as demais drogas (está na farmácia popular…). Mas apresenta mais efeitos adversos do que a clortalidona e indapamida, seus irmãos de classe. E na dose utilizada mais comumente, que é de 12,5 a 25mg/dia, tem potência anti-hipertensiva inferior que as demais classes. Lembrando que essa última informação veio dessa meta-análise comentada nesse post…com as limitações metodológicas de qualquer meta-análise, os grupos comparados nem sempre são iguais etc…na minha prática, se eu puder, eu evito utilizar hidroclorotiazida, priorizando a clortalidona ou indapamida quando penso em usar algum diurético.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: