Hipertensão arterial sistêmica

Hipertensão gestacional aumento o risco de doença cardiovascular?

Escrito por Audes Feitosa

Esta publicação também está disponível em: Português

As doenças hipertensivas da gravidez (DHG), que também recebem a denominação de hipertensão gestacional e pré-eclâmpsia, ocorrem em aproximadamente 15% das gestações. As doenças hipertensivas da gravidez estão consistentemente associadas a um aumento de 2 vezes o risco de doença cardiovascular (DCV) e mortalidade prematura relacionada a DCV em mulheres, quando comparadas com aquelas com história de gravidez sem DHG. No entanto, poucos estudos de DCV foram ajustados para fatores de risco pré-gestacionais concomitantes, como hipercolesterolemia, diabetes mellitus tipo 2 (DM2) ou índice de massa corporal (IMC), ou tiveram um acompanhamento médio/mediano de mais de 30 anos.

Para melhor responder a estes questionamentos, estudo acompanhou 60.379 mulheres sem DCV após o primeiro parto do Nurses’ Health Study II.  Até onde sabemos, este estudo apresenta o mais completo controle de confundimento pré-gestacional na relação entre as DHG e as DCV de longo prazo e é o primeiro a estimar a proporção dessa associação mediada conjuntamente por hipertensão crônica, hipercolesterolemia, DM2 e alterações no IMC.

Os resultados mostram que mesmo após o ajuste para fatores de confundimento pré-gestacionais, as DHG na primeira gravidez permaneceram associadas a uma taxa 63% maior de DCV no futuro. Oitenta e quatro porcento do aumento do risco de DCV entre mulheres com hipertensão gestacional foi explicado pelo desenvolvimento de hipertensão crônica após a gravidez. Embora a maioria (57%) da associação pré-eclâmpsia e DCV tenha sido explicada conjuntamente por fatores de risco de DCV estabelecidos, aproximadamente 40% da associação permaneceu sem explicação; isso sugere que a pré-eclâmpsia pode aumentar o risco de DCV por meio de fatores de risco não tradicionais e/ou pouco reconhecidos. Estes achados sugerem que o rastreamento e o tratamento de hipertensão crônica, hipercolesterolemia, DM2 e sobrepeso/obesidade após uma gravidez podem retardar ou até prevenir doenças cardiovasculares em mulheres com histórico de DHG.

Deste modo, novas pesquisas serão necessárias para estabelecer estratégias para reduzir o risco cardiovascular a longo prazo após hipertensão gestacional e pré-eclampsia.

Referência

Stuart JJ, Tanz LJ, Rimm EB, et al. Cardiovascular Risk Factors Mediate the Long-Term Maternal Risk Associated With Hypertensive Disorders of PregnancyJ Am Coll Cardiol. 2022; 79(19):1901-1913. doi:10.1016/j.jacc.2022.03.335

Curso Cardiopapers

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Audes Feitosa

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anúncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site

%d blogueiros gostam disto: