Insuficiência Cardíaca

Microalbuminúria e IC

A microalbuminúria já foi descrita como sendo um fator de risco para doenças cardiovasculares e renais progressivas, mas seu valor prognóstico em pacientes com insuficiência cardíaca (IC) foi pouco estudado.

Estudo publicado nesse mês na revista Arquivos Brasileiros de Cardiologia avaliou prospectivamente a concentração de albumina urinária (CAU) na primeira amostra de urina da manhã em 92 pacientes com IC. 41,3% apresentaram microalbuminúria. O end point definido foi tempo decorrido até o primeiro evento (internação por IC, consulta em PA ou morte cardiovascular). Demais comorbidades eram semelhantes entre os grupos.

A sobrevida livre de eventos foi menor em pacientes com microalbuminúria (p < 0,0001). As variáveis independentemente relacionadas a eventos cardíacos foram CAU e história de infarto do miocárdio.

Os mecanismos sugeridos para a presença de microalbuminúria mesmo na ausência de HAS e DM seriam disfunção endotelial, presente em pacientes com IC, ou a presença de congestão venosa sub-clínica.

Devemos lembrar que esse é um estudo com n pequeno, unicêntrico, e que os pacientes com microalbuminúria tinham uma tendência para uma FE de VE inferior (p 0,08), mas demonstra achados que já haviam sido sugeridos em análises prévias (dos estudos CHARM e GISSI-HF). Aguardamos estudos com populações maiores.

Referência

 

1. Villacorta H, Ferradaes PV, Mesquita ET, Nóbrega ACL. Microalbuminúria é um Marcador Prognóstico Independente em Pacientes com Insuficiência Cardíaca Crônica. Arq Bras Cardiol 2012 98(1):62-69.

Deixe um comentário

Sobre o autor

Fernando Figuinha

Fernando Figuinha

Especialista em Cardiologia pelo InCor/ FMUSP
Médico cardiologista do Hospital Miguel Soeiro - Unimed Sorocaba.
Presidente - SOCESP Regional Sorocaba.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: