Coronariopatia

Novo guideline europeu de Síndrome Coronariana Sem Supra de ST – parte 9

POPULAÇÕES ESPECIAIS PARTE 2

IRC

– 1/3 dos pctes com SCA sem supra têm disfunção renal.

– Este grupo de pctes tem uma probabilidade maior de se apresentar com sintomas atípicos, como dispnéia.

– A informação mais importante neste grupo encontra-se na tabela acima – qual a correção de dose que tem  ue ser feita para cada medicação.

– Atentar que com ClCr de 30 a 60 a diretriz afirma ser o fondaparinux a droga de escolha baseada na menor taxa de sangramento quando comparada com a enoxaparina (estudo OASIS-5). Em breve devo colocar um resumo deste trial clássico aqui no blog.

– E se o ClCr for menor do que 30 mL/min? O que a diretriz recomenda?

Ou seja, o que todo mundo sabe que deveria fazer mas muitas vezes não faz por problemas logísticos – o laboratório não colhe o ttpa de 6/6 hrs como deveria, o resultado demora para chegar e assim quando se vai ajustar a dose de acordo com o exame colhido ao meio dia já são quase 18h, etc, etc, etc. Mas o fato que a recomendação é esta. Lembrar que quando se usa a enoxaparina corrigida para a função renal (1 mg/kg 1xd) dever-se-ia dosar a atividade anti-xa, exame disponível em pouquíssimos lugares. 

– Em pctes com DRC – evitar volume de contraste > 4mL/kg (apesar de já haver uma fórmula mais moderna e eficaz para calcular o volume máximo de contraste que se pode usar).

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: