Insuficiência Cardíaca

O uso de maconha pode “partir seu coração”?

Jefferson Vieira
Escrito por Jefferson Vieira

Um estudo observacional apresentado recentemente no congresso da American Heart Association associou o uso da maconha com um risco duas vezes maior de cardiomiopatia de Takotsubo, também chamada de cardiomiopatia do estresse e caracterizada pelo balonamento apical transitório do VE. Nunca ouviu falar em Takotsubo? Veja este post de revisão sobre o assunto.

Similar a outros levantamentos prévios, a maioria dos pacientes com Takotsubo eram mulheres de meia-idade que haviam passado por algum estresse emocional ou físico importante. No entanto, no subgrupo de homens com Takotsubo foi identificado uma parcela significativamente maior de usuários da cannabis. E embora esse subgrupo fosse composto por indivíduos mais jovens (44 vs. 66 anos) e com perfil de menor risco cardiovascular, a probabilidade de parada cardíaca e implante de CDI foi expressivamente maior.

Esse levantamento avaliou uma coorte de 33.343 pacientes admitidos com Takotsubo entre 2003 e 2011 nos EUA, dos quais 210 eram usuários regulares de maconha. Na análise multivariada ajustada pelos fatores de risco, o uso de maconha foi identificado como um preditor independente de Takotsubo. E embora o desenho do estudo não permita estabelecer uma relação temporal de causa-efeito há no mínimo uma forte correlação entre o uso de maconha e a cardiomiopatia do estresse. Na prática, usuários regulares de maconha com quadro de dor torácica, ou outro equivalente anginoso, podem na verdade estar apresentando Takotsubo.

A cardiomiopatia de Takotsubo foi descrita pela primeira vez na década de 1990 em uma população japonesa, e foi assim denominada devido à comparação do formato que o VE assume durante a sístole com uma armadilha usada no Japão para prender polvos, o “Tako-tsubo”. A fisiopatologia da Takotsubo ainda é incerta, mas acredita-se que seja decorrente de uma estimulação simpática exagerada em resposta ao estresse e que os níveis elevados de catecolaminas circulantes poderiam atordoar o miocárdio. Assim, os receptores endocanabinóides presentes no músculo cardíaco humano poderiam desempenhar um papel na fisiopatologia do Takotsubo. Estudos clínicos e experimentais já demonstraram que a ativação dos receptores endocanabinóides pode causar aumento da freqüência cardíaca e vasodilatação.

A principal crítica ao estudo, que ainda não foi publicado, é seu desenho não-randomizado retrospectivo e, portanto, sem poder estatístico para estabelecer causalidade. Além disso, a frequência e a regularidade do uso de maconha não foram informadas, nem tampouco o tempo decorrido entre seu uso e a hospitalização.

Estima-se que 22 milhões de norte-americanos façam uso regular de maconha, com 7.000 novos adeptos por dia. Indivíduos que fazem uso recreativo da maconha devem ser avisados dos riscos potenciais de Takotsubo e procurar imediatamente um pronto-socorro em caso de sintomas de dor torácica, dispnéia ou palpitações.

Singh A, Agrawal S, Fegley M, et al. Marijuana (cannabis) use is an independent predictor of stress cardiomyopathy in younger men.. American Heart Association 2016 Scientific Sessions; November 13, 2016; New Orleans, LA. Abstract S4054

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Jefferson Vieira

Jefferson Vieira

Residência em Cardiologia pelo Instituto de Cardiologia/RS
Especialista em Cardiologia pela SBC
Especialista em Insuficiência Cardíaca e Transplante Cardíaco pelo InCor/FMUSP
Doutor em Cardiologia pela FMUSP
Médico-assistente do programa de Insuficiência Cardíaca e Transplante Cardíaco do Hospital do Coração de Messejana

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: