Sem categoria

PARTNER Trial – Implante Percutâneo de valva aórtica

A estenose Aórtica  é uma das principais valvulopatias de acometimento mundial.  O comprometimento valvar é insidioso e quando sintomático evolui com até 50% de mortalidade em 2 anos  sinalizando assim,  a necessidade de tratamento cirúrgico. No entanto em até 1/3 dos pacientes nesta condição  não são candidatos a cirurgia de troca valvar devido a  idade muita avançada, disfunção ventricular ou múltiplas comorbidades valendo-se apenas  do tratamento clínico e/ou valvuloplastia aórtica . Neste contexto, surgiu o PARTNER Trial publicado em outubro de 2010 que avaliou  Implante de Valva Aórtica Percutânea  (Sapien – Edward Lifesciences) para Estenose Aórtica em Pacientes não Candidatos à Cirurgia Cardíaca.

O Estudo foi multicêntrico e utilizou como critérios de inclusão pacientes com Estenose Aórtica Severa Sintomática ( área <0,8cm2 / gradiente VE-Ao: >=40mmHg / pico de Jato > 4mm /s ) com todos pacientes em classe funcional ( NYHA) maior que  II.  Foram randomizados  pacientes entre 2007 a 2009 e divididos em 2 grupos ( grupo A: 700 pacientes candidatos a cirurgia porém com  estimativa de Risco pela STS >=10% ou por avaliação de comorbidades que preveem mortalidade em 30 dias >=15% – ou seja alto risco cirurgico /  grupo B:358  pacientes  não candidatos a cirurgia devido a comorbidades e que estimativas indicam mortalidade >=50% em 30 dias avaliados por 1 cardiologista e 2 cirurgiões – pcte muito alto risco) . O grupo 2 foi comparado com tratamento clínico incluindo valvuloplastia com balão ( dados aqui comentados) e o grupo 2  com a cirurgia convencional de troca valvar ( dados deste braço ainda não pulblicados) – sendo  acompanhados por 1 ano.

No braço da avaliação dos 358 pacientes não eleitos a tratamento cirúgico, o implante percutâneo foi superior ao tratamento clínico convencional ( incluindo-se valvuloplastia  percutânea) reduzindo:

  • Mortalidade por qualquer causa em 46% ( NNT: 5) ; – desfecho primário
  • Desfecho combinado de óbito e re-hospitalização? em 54% ( NNT:3,4) – Desfecho primário
  • Mortalidade Cardiovascular em 61% ( NNT: 4,1) – Desfecho secundário
  • Melhora de sintomas e teste de caminhada de 6 minutos

Como complicação principal , foi evidenciado aumento do Risco de AVC ( relacionado ao procedimento ) que futuramente pode ser controlados com dispositivos de implante percutâneo menos calibrosos e devices de proteção cerebral.

O objetivo de avaliar a superioridade do implante percutâneo nesta população foi alcançado e com NNT baixos evidenciando o benefício e novo panorama no tratamento desta patologia.

FONTE: Leon MB, Smith CR, Mack M, et al. Transcatheter Aortic-Valve Implantation for Aortic Stenosis in Patients Who Cannot Undergo Surgery. N Engl J Med 2010; 363:1597-1607.

httpv://www.youtube.com/watch?v=3UJK1HUxvuw&feature=related

Deixe um comentário

Sobre o autor

Andre Lima

Andre Lima

Editor do site --
Especialista em Cardiologia pela SBC e InCor/ USP --
Especialista em Ecocardiografia pela SBC e InCor/USP --
Especialista em Terapia Intensiva pela AMIB --

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: