Imagem cardiovascular Insuficiência Cardíaca

Presença de fibrose miocárdica aumenta risco de morte na miocardiopatia dilatada?

Ricardo Rocha
Escrito por Ricardo Rocha

Esta publicação também está disponível em: Português Español

A miocardiopatia dilatada (MCPD) representa a via final comum de diversos insultos genéticos e ambientais, onde uma combinação de injúria miocárdica associada à fibrose tecidual resulta em disfunção contrátil. O reconhecimento da etiologia é importante para individualizar as estratégias terapêuticas e estratificar o prognóstico do paciente. Apesar dos avanços terapêuticos, o prognóstico de pacientes com MCPD continua limitado.

DICA:

  • A ressonância cardíaca com a técnica de realce tardio é o método padrão ouro para avaliação de fibrose miocárdica.

Aproximadamente 30% dos paciente com MCPD apresentam realce tardio, sendo o padrão linear mesocárdico septal o mais frequente.

Foi publicado no JACC um estudo que avalia a relação entre realce tardio e desfechos clínicos em pacientes com MCPD,  baseado na extensão, localização e padrão de fibrose encontrados.

# Dos 874 pacientes (588 homens, com idade mediana de 52 anos) seguidos por uma mediana de 4,9 anos, 300 (34,3%) tinham realce tardio não isquêmico.

# Realce septal estava presente em 142 pacientes (16.2%), na parede livre do ventrículo esquerdo em 42 (4.8%) e em ambas as localizações em 116 (13.3%)

# Razões de risco estimadas ajustadas para pacientes com um grau de realce de 0 a 2,55%, 2,55% a 5,10% e > 5,10%  foram respectivamente de 1,59 (IC: 95%: 0,99 a 2,55), 1,56 (IC: 0,96 a 2,54) e 2,31 (IC 95%: 1,50 a 3,55) para mortalidade por todas as causas e 2,79 (IC 95%: 1,42 a 5,49), 3,86 (IC 95%: 2,09 a 7,13) e 4,87 (95 % CI: 2,78 a 8,53) para o endpoint morte súbita cardíaca.

# Houve uma associação não linear entre a extensão e o resultado do LGE, com um grande aumento no risco com pequenos graus de realce e aumentos menos acentuados com maiores extensões subsequentes. O aumento do risco com pequenas quantidades de realce foi mais marcado para eventos de morte cardíaca súbita

# A presença de realce septal foi associada com aumento da mortalidade, mas morte cardíaca súbita foi mais associado com a presença combinada de realce septal e na parede livre do ventrículo esquerdo.

# Modelos preditivos usando a presença e a localização da LGE foram superiores aos modelos baseados na extensão ou padrão da LGE.

CONCLUSÃO:

# Em pacientes com MCPD, a presença de realce tardio septal (figura 1) está associada a um grande aumento no risco de morte e morte súbita cardíaca, mesmo quando a extensão é pequena. 

Figura 1 . Imagem em eixo curto mostrando realce tardio septal linear.

# O risco de morte súbita é maior com a presença combinada de realce septal e na parede livre do ventrículo esquerdo (figura 2). 


Figura 2 .  Imagem em eixo curto mostrando realce tardio não isquêmico localizado no septo interventricular e na parede livre do ventrículo esquerdo.

# O valor incremental da extensão do realce além de pequenas quantidades é limitado

FONTE :JACC: CARDIOVASCULAR IMAGING, VOL. 12, no. 8, 2019 AUGUST 2019:1645–55

Curso Questões Cardiopapers

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Ricardo Rocha

Ricardo Rocha

Residência em Cardiologia pela USP - Ribeirao Preto
Título de Especialista em Cardiologia pela SBC
Especialista em Tomografia e Ressonância Cardiovascular pelo InCor/FMUSP
Médico do setor de Imagem Cardiovascular das Clinicas Boghos Boyadjian e Mário Marcio - Fortaleza - CE
Médico do setor de Cardiologia e Imagem Cardiovascular do Hospital Monte Klinikum - Fortaleza - CE

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site

%d blogueiros gostam disto: