Coronariopatia Emergências

Qual a dose de ataque de clopidogrel nas SCA em pacientes idosos?

Esta publicação também está disponível em: pt-brPortuguês

 

Apesar de termos falado previamente  da abordagem da SCA no idoso, hoje enfocaremos no uso da dose de ataque de clopidogrel ( 300mg) em pacientes com idade >= 75 anos.

O clopidogrel ainda é o antiplaquetário adicionado  ao AAS mais utilizado no Brasil no contexto de síndromes coronarianas agudas. Porém tenho notado que existe uma dúvida quanto a se realizar a dose de ataque (300mg) ou  introduzir apenas a dose convencional ( 75 mg) nesta população devido as maiores incidências de comorbidades, disfunção renal e baixo peso o que sugeriria um maior risco de sangramento.

Em revisão da literatura pode-se observar que nas Síndromes Coronarianas  Agudas Sem supra de ST as recomendações das principais diretrizes (  ACC/AHA 2007 Guidelines for the Management of Patients With Unstable Angina/Non–ST-Elevation Myocardial Infarction ,  Diretriz Brasileira sobre Angina Instável e IAM sem supra de ST de 2007 , II Diretrizes em Cardiogeriatria da Sociedade Brasileira de Cardiologia (2010) ,  ESC Guidelines for the management of acute coronary syndromes in patients presenting without persistent ST-segment elevation (2011) ) revelam que  mesmo nos pacientes com mais de 75 anos não há necessidade de ajuste de dose devido a idade  pois  não aumentou significativamente o risco de sangramento comparado com a dose padrão.

No CURE, que foi o principal estudo que embasou o uso do clopidogrel , os maiores benefícios do uso da medicação ( Ataque com 300mg e manutenção com 75 mg) foram nos pacientes com elevação de troponina, Infra desnivelamento de ST  e idade >60 anos com DAC previa.

Em recente estudo publicado em setembro de 2011 derivado do registro FAST – MI confeccionado especificamente para avaliar a eficácia e segurança da dose de ataque do clopidogrel ( >=300mg ) comparado com a dose convencional ( 75mg ) em pacientes com >= 75anos, foram avaliados 791 pacientes com IAM com até  48 horas  e que receberam clopidogrel ( 466 pctes com dose de ataque > = 300mg VS dose convencional de 75 mg). Foi demonstrado que nesta população a dose de ataque não apresentou maiores riscos de sangramento, porém não alterou mortalidade em 30 dias e 12 meses.

Portanto, nos pacientes idosos  com SCA sem supra de ST ( alto risco e risco intermediários), podem receber dose de ataque de clopidogrel após avaliação individual de risco de sangramento. Acrescentamos uma SUGESTÂO nossa quanto a avaliação de risco de sangramentos.

 

 

Mais informações: http://cientifico.cardiol.br/cardiosource2/sindr-coron-aguda/int_artigo07.asp?cod=83

 

Nos pacientes com >=75 anos e com  SCA com SUPRA de ST que receberão trombolíticos a recomendação é que não se forneça a dose de ataque mantendo-se a dose convencional de apenas 75 mg.

 

LEMBRETES:

  • EM TODOS AQUELES QUE FOREM SUBMETIDOS A ANGIOPLASTIA, A DOSE DE ATAQUE COM 300 – 600MG ESTÁ RECOMENDADA.
  • Prasugrel é contra indicado em maiores de 75mg

QUAL A SUA OPINIÃO?

Curso Preparatório

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Andre Lima

Andre Lima

Editor do site --
Especialista em Cardiologia pela SBC e InCor/ USP --
Especialista em Ecocardiografia pela SBC e InCor/USP --
Especialista em Terapia Intensiva pela AMIB --

2 comentários

  • Oi André.
    Ótimo texto.
    E nos paciente com supra ST > 75 anos que não receberão trombolitico e nem foram encaminhados para angioplastia , também ficam sem receber a dose de ataque?

Deixe um comentário

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site