Coronariopatia

Qual o melhor escore de risco para pacientes com síndrome coronariana aguda sem supra de ST?

A estratificação de risco de pctes com SCA sem supra de ST é extremamente importante uma vez que orienta a conduta a ser tomada. Pctes de baixo risco não apresentam benefícios evidentes com o uso rotineiro de estratégia invasiva (isto é, cateterismo cardíaco). Já pctes de alto risco apresentam diminuição de desfechos quando submetidos a cateterismo cardíaco de forma precoce. Mas como dizer se o pcte é de baixo, moderado ou alto risco de eventos isquêmicos? Para isto dispomos de vários escores. Os mais conhecidos provavelmente são o famoso escore TIMI e o escore popularizado pelo Dr Braunwald. Contudo, avaliações mais recentes têm mostrado que o escore com melhor acurácica é o GRACE (vide os 2 trabalhos citados no slide acima). Enquanto este tem uma acurácia entre 70% e 85% a depender do estudo avaliado, os outros escores costumam apresentar taxa de acerto inferior a 70%.

E por que não vemos as pessoas utilizando este escore na prática? Provavelmente porque boa parte dos cardiologistas ainda desconhece a superioridade do GRACE sobre os escores mais conhecidos. Além disso, há o problema logístico envolvido no cálculo do GRACE. Como são avaliadas inúmeras variáveis só se consegue usar o escore com ajuda de algum aplicativo do celular (ex: o medcalc) ou através do seguinte site:

http://www.outcomes-umassmed.org/grace/acs_risk/acs_risk_content.html

Lembrando que os dados que devem ser computados no GRACE são os da admissão (fc, pa, creatinina, etc).

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: