Coronariopatia

Questões em cardiologia – coronariopatia aguda

Eduardo Lapa
Escrito por Eduardo Lapa

Pcte de 50 anos hipertenso, diabético e dislipidêmico foi admitido no hospital devido a quadro de dor torácica. ECG sem alterações relevantes. Troponina positiva. Fez cateterismo cardíaco que revelou:

Baseado nas imagens, responda a pergunta abaixo:

Resposta abaixo

 

 

 

 

 

 

Resposta: cirurgia de revascularização miocárdica.

O cateterismo mostra uma lesão importante de porção distal de tronco de coronário esquerda a qual acomete também a emergência das 3 artérias que se originam do tronco neste caso: descendente anterior, circunflexa e diagonalis (ou ramo intermédio). A maioria dos estudos corrobora a cirurgia de revascularização miocárdica como melhor opção de tratamento nos casos de lesão de tronco. O trial Syntax mostrou que a angioplastia com stent farmacológico é uma opção similar à cirurgia em casos de lesão de tronco associado a lesão de apenas um vaso adicional (ex: tronco + óstio de DA). Contudo, neste caso, por se tratar se anatomia complexa, a conduta mais recomendada é a cirurgia de revascularização miocárdica considerando que o pcte tem um status clínico adequado para ser submetido ao procedimento.

O pcte chegou com infarto agudo do miocárdio sem supra de ST sendo programado cirurgia de revascularização miocárdica para o dia seguinte. Contudo, neste intervalo o indivíduo começou a evoluir com quadro de choque circulatório, dor torácica refratária às medidas farmacológicas (morfina + tridil). O que fazer neste caso? O ideal seria antecipar a cirurgia e realizà-la em caráter de emergência. Tal conduta, porém, possui uma logística complicada em boa parte dos serviços nacionais, tanto públicos quanto privados. Muitas vezes é difícil conseguir-se mobilizar toda a equipe envolvida na cirurgia cardíaca (cirurgões, perfusionista, anestesista, etc) em período de poucas horas. Nestes casos, em serviços que possuem equipe de hemodinâmica disponível, uma alternativa possível é a realização de angioplastia da lesão culpada. Foi a conduta adotada no caso. Foi implantado balão intra-aórtico para estabilização do quadro hemodinâmico do paciente sendo posteriormente realizada angioplastia da lesão do tronco da coronária esquerda. O pcte evoluiu bem após o procedimento apresentando rápida reversão do choque cardiogênico. Recebeu alta hospitalar poucos dias depois assintomático.

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

1 comentário

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: