Insuficiência Cardíaca Terapia Intensiva Cardiológica

Série Devices: HeartMate II

O HeartMate II é um dispositivo de assistência ventricular esquerda, indicado para pacientes com insuficiência cardíaca (IC) sistólica avançada (estágio D). Pacientes com IC refratária podem precisar de suporte inotrópico para compensação clínica, o que pode melhorar o status clínico a curto prazo. Caso necessário o uso contínuo por tempo prolongado, a sobrevida em 1 ano é de 10 a 30%. Como o transplante cardíaco é uma alternativa apenas para uma minoria dos pacientes, e não haviam outras opções efetivas para esses pacientes, iniciou-se o desenvolvimento de dispositivos mecânicos de suporte circulatório.

Inicialmente, foram desenvolvidos os dispositivos pulsáteis, que mostraram benefícios em sobrevida, capacidade funcional e qualidade de vida, comparados com tratamento clínico otimizado (estudo REMATCH).

O HeartMate II é um dispositivo de fluxo contínuo. Quando comparado com o dispositivo pulsátivel anterior, mostrou melhora em sobrevida livre de AVC ou reoperação em 2 anos (46% x 11% pulsátil), em sobrevida geral (58% x 24% em 2 anos), capacidade funcional e qualidade de vida (NEJM 2009 361:2241). Além disso, é menor e mais silencioso.

O HeartMate II pode ser usado tanto como ponte para transplante, para o paciente poder esperar o procedimento em casa, como terapia de destino, para aqueles pacientes que tem contra-indicação ao transplante.

Os parâmetros desse dispositivo são: fluxo da bomba (em L/min), velocidade da bomba (em rpm), índice de pulso (IP) e potência da bomba (em watts). O parâmetro principal para regulá-lo é a velocidade de bomba. Se a velocidade for muito alta, o VE fica com pouco volume, o que pode levar ao desvio do septo e colapso hemodinâmico (observa-se queda do IP, que representa o quanto o coração nativo auxilia na contração). A potência da bomba representa a energia necessária para funcionar a bomba; se muito alta, pode sugerir obstrução ou trombo.

Devemos manter o tratamento padrão para IC e anticoagulação, se sem contra-indicações. As complicações desse dispositivo são: AVC ou eventos embólicos, sangramento, infecção, arritmias, colapso hemodinâmico por desvio do septo interventricular. A disfunção de VD é maior causa de morbidade e morte após o implante do HeartMate II, uma vez que esse é um dispositivo de assistência esquerda somente.

É um dispositivo que poderia ser muito útil no tratamento de muitos pacientes refratários que cuidamos em nossas UTIs cardiológicas, mas que, infelizmente, por questões financeiras, ainda não temos disponível no Brasil.

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Fernando Figuinha

Fernando Figuinha

Especialista em Cardiologia pelo InCor/ FMUSP
Médico cardiologista do Hospital Miguel Soeiro - Unimed Sorocaba.
Presidente - SOCESP Regional Sorocaba.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: