Miscelânia

Síndrome de Austrian

Foi publicado no Arquivos Brasileiros de Cardiologia um relato de caso de um paciente que apresentou quadro de endocardite, pneumonia e meningite por um mesmo agente – a Tríade de Osler.

Quando essas infecções ocorrem por Streptococcus pneumoniae, é conhecida como síndrome de Austrian.

É um quadro raro, de elevada morbi-mortalidade.

A endocardite pneumocócica é responsável por 1-3% dos casos em valvas nativas. Geralmente acomete a valva aórtica.

Sua apresentação predominante é aguda, com rápida evolução. Normalmente não são encontrados sinais periféricos, e complicações como instabilidade hemodinâmica, formação de abscessos e embolização sistêmica são comuns.

Os principais fatores de risco são idade avançada e alcoolismo.

Devido ao surgimento de resistência à penicilina e à evolução agressiva e associação com meningite, a penicilina não é a droga de primeira escolha. Em geral, opta-se por introduzir uma cefalosporina de 3ª geração, associada ou não à vancomicina, a depender da resistência à cefalosporina estudada.

Referência: Midon ME, Goldoni F, Souza SGR, Miy JNS. Síndrome de Austrian. Arq Bras Cardiol 2011; 97(3) : e50-e52.

Deixe um comentário

Sobre o autor

Fernando Figuinha

Fernando Figuinha

Especialista em Cardiologia pelo InCor/ FMUSP
Médico cardiologista do Hospital Miguel Soeiro - Unimed Sorocaba.
Presidente - SOCESP Regional Sorocaba.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: