Coronariopatia ECG Emergências Manchetes da Semana

Supra de ST côncavo ou convexo? Qual a importância disto?

Eduardo Lapa
Escrito por Eduardo Lapa

Na avaliação do supradesnivelamento do segmento ST no ECG sempre fica a dúvida: trata-se de um infarto agudo do miocárdio ou há outra etiologia (sobrecarga de ventrículo esquerdo, bloqueio de ramo esquerdo, repolarização precoce, hipercalemia, etc)? Um dica interessante para ajudar nesta diferenciação é avaliar se o supra de ST é côncavo ou convexo. As etiologias não isquêmicas costumam apresentar supra com concavidade para cima enquanto que a oclusão coronariana aguda geralmente se apresenta com supra com convexidade para cima.

Apenas lembrando o básico:

colher

Exemplos de supras com concavidade para cima:

Slide1

Exemplos de supras com convexidade para cima:Slide1

Imagens retiradas do Manual de Eletrocardiografia Cardiopapers.

Quer dizer então que supra com concavidade para cima fico tranquilo e supra com convexidade para cima me preocupo? Na verdade, não é tão simples. Alguns exemplos:

  • o supra isquêmico pode ter concavidade para cima na apresentação bastante precoce, muitas vezes acompanhado de T hiperaguda.
  • na Síndrome de Wellens o supra de ST costuma ter concavidade para cima.
  • Etiologias benignas de supra como a SVE às vezes podem se apresentar com supra com convexidade para cima. Ver este post para observar 2 exemplos.

Há outras exceções além destas.

Enfim, trata-se apenas de uma regra geral e como toda regra tem várias exceções. Contudo, é um dado a mais para ajudar na diferenciação de supra isquêmico x não isquêmico.

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

1 comentário

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: