Sem categoria

Trabalhos clássicos: ACCOMPLISH

– Trial publicado na New England em 2008

– Um dos maiores trials recentes sobre tratamento de hipertensão

– Objetivo: comparar 2 combinações de medicações – benazepril + anlodipino x benazepril + hidroclorotiazida

– As medicações eram administradas na forma de 1 comprimido por dia

– População estudada – 11.506 pctes. Basicamente tratava-se de pctes de alto risco cardiovascular (1/4 já tinham tido IAM prévio, 13% AVC, 60% eram diabéticos, etc).

– end point primário – tempo decorrido até o surgimento do primeiro evento (evento cardiovascular ou morte por causas cardiovasculares – ou seja, IAM, AVC, revacularização, síndrome coronariana aguda, etc).

– protocolo – o pcte iniciava o estudo usando benazepril 20 + anlodipino 5 ou benazepril 20 + hidroclorotiazida 12,5. Após 1 mês e uso, aumentava-se a dose do benazepril para 40 mg 1xd. Se a PA se mantivesse acima dos níveis aceitados (<140×90 para a população geral e <130×80 em DM e IRC) os níveis de anlodipino e hidroclorotiazida podiam ser elevados para 10 mg e 25 mg 1xd, respectivamente.

– Ao final do estudo cerca de 60% dos pcte de ambos os grupos estavam usando a dose plena das medicaçoes

– A pressão média ao final do estudo do grupo do benazepril + anlodipino foi de 131,6×73,3 e do grupo benazepril + hidroclorotiazida foi de132,5×74,4. Diferença de 0,9×1,1. Apesar da diferença pequena de PA entre os 2 grupos, os desfechos variaram bastante

– O estudo foi parado antes da data prevista após 30 meses de seguimento  uma vez que já tinha se observado diferença nos desfechos

– O risco de eventos combinados foi de 9,6% no grupo benazepril + anlodipino x 11,8% no outro grupo. Redução do risco absoluto de 2,2%. A cada 46 pctes tratados com o primeiro esquema evitou-se um evento cardiovascular em um período de cerca de 3 anos de seguimento.

– A diferença deveu-se principalmente a diminuição de 21,5% de IAM e de 13,9% de revascularização miocárdica no grupo benazepril + anlodipino.

– efeitos colaterais e suspensão da medicação foram similares nos 2 gupos

PONTOS INTERESSANTES DO ESTUDO

1- Houve diferença razoável de desfechos importantes

2- O estudo avaliou combinação de medicamentos em um único comprimido. Apesar de serem muito utilzadas na prática clínica estas combinaçõe (2 drogas em um só comprimido) não foram tão estudadas quanto as drogas individualmente

3- os pctes do trial refletem bem a nossa realidade atual. Pctes de alto risco, que na sua maioria das vezes estavam usando estatinas (quase 70% da população tota)  e, em grande parte, usando aas (64% dos pctes – lembrando que a maioria dos pctes era de prevenção scundária)

4- uma grande falha do estudo, na minha opinião, foi ter usado hidroclorotiazida e não clortalidona. Como já comentamos em um tópico prévio a hidrocloro carece de evidências científicas mais robustas em relação a diminuiçao de  desfechos cardiovasculares.

Uma questão importante é o custo.  A combinação de benazepril 20 + anlodipino 5 custa por volta de 60 reais. Considerando que a maioria dos pctes no ACCOMPLISH estava em uso de dose plena da medicação no final do trabalho isso seria um custo de 120-130 reais por mês. Lembrando que a maioria dos pctes também estavam em uso de algum outro anti-hipertensivo, estatina, aas, etc Para a maioria das pessoas gastar mais de 200 reais por mês de medicação é  uma questão limitante…

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: