Coronariopatia Lípides Manchetes da Semana Prevenção

Vale a pena tratar dislipidemia em pacientes jovens?

Thiago Midlej
Escrito por Thiago Midlej

Esta publicação também está disponível em: Português Español

Estudo publicado recentemente no The Lancet, estudou retrospectivamente quase 400.000 pacientes em 34 coortes realizadas em países europeus, Estados Unidos e Austrália. Os pacientes tinham seus níveis de não-HDL colesterol dosados e não tinham doença cardiovascular. Alguns chegaram a ser acompanhado por até 40 anos sendo o Endpoint era doença cardiovascular ou AVC.

O estudo mostrou que a taxa de eventos cardiovasculares em 30 anos foi 3 a 4 vezes mais elevadas nos pacientes que tinham níveis de não-HDL colesterol mais elevados em relação aos que não tinham níveis elevados e que essa relação era ainda mais forte em pacientes menores de 45 anos. Até aí, nenhuma novidade! Mas vamos lá.

Para estimar a probabilidade de evento cardiovascular e não-HDL colesterol, foi estabelecido um modelo matemático para calcular o risco cardiovascular aos 75 anos. Mulheres com não-HDL colesterol elevado, menores de 45 anos e que apresentavam pelo menos um fator de risco para doença cardiovascular tinham 15% de probabilidade de apresentar por exemplo, infarto ou AVC aos 75 anos de idade.  Em homens, essa probabilidade foi de 28%. Porem, baseados nos mesmos cálculos, hipoteticamente, se houvesse redução em 50% dos níveis de não-HDL colesterol, essa probabilidade poderia ser reduzida para 3% em mulheres e 6% nos homens.

Mais interessante ainda é que o estudo mostrou que essa redução de risco absoluto foi mais evidente naqueles com dois ou mais fatores de riscos, mas também houve redução naqueles isentos de fatores de risco.

Esse estudo é muito interessante porque quebra alguns conceitos práticos e chama atenção para tratamento de indivíduos jovens, menores de 40 anos e mesmo sem fatores de riscos.

Tudo bem que foi baseado em modelo de cálculo estatístico, mas não deixa de serem dados interessantes e alarmantes e, talvez, quanto mais precoce o tratamento, menor a probabilidade de um evento cardiovascular.

Referência: Application of non-HDL cholesterol for population-based cardiovascular risk stratification: results from the Multinational Cardiovascular Risk Consortium

Published Online  December 3, 2019 https://doi.org/10.1016/ S0140-6736(19)32519-X

Curso Cardiopapers

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Thiago Midlej

Thiago Midlej

Especialista em Cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia​ e pelo Instituto do Coração da Faculdade de Medicina de São Paulo - I​NCOR​​.
Pós graduando da Unidade de Hipertensão do​​ I​NCOR​
Médico plantonista da Unidade Clínica de Emergência do INCOR
​​Cardiologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site

%d blogueiros gostam disto: