Medicina Baseada em Evidências

O real significado do valor de P

Escrito por Remo Holanda

Esta publicação também está disponível em: Português

Em todo artigo científico, costumamos ficar atentos a um determinado “número mágico” que ateste se o resultado do estudo é próximo à verdade ou não.  Mas afinal, qual é o real significado do tão falado valor de P?

O valor de P (de probabilidade) é uma maneira de se verificar quão próximo da verdade o resultado do estudo está admitindo-se que não haja vieses (aliás, este é um outro ponto…vamos deixar para outro post!). Em outras palavras, o valor de P nada mais é do que a probabilidade de se encontrar um resultado igual ou mais extremo do que eu vejo no estudo caso a verdade no universo seja a de que a sua hipótese do estudo esteja errada. Como assim?

Vamos dar um exemplo para explicar melhor. Suponha que você leia um determinado estudo incluindo 100 pacientes, comparando dois medicamentos A e B para tratamento da pressão arterial (PA). Ao final do estudo, a PA sistólica foi 20 mmHg menor, em média, nos pacientes que tomaram o remédio A em comparação aos que tomaram o remédio B (!!!).  Ou seja, tudo leva a crer que o remédio A deva ser superior. Será?

Diante do suposto caso, temos duas possibilidades: 1) a verdade no universo é a de que o remédio A de fato seja melhor do que o B (para ter certeza disso eu teria que avaliar todos os pacientes do universo, o que, obviamente, é inviável!); 2) o resultado apresentado foi uma mera coincidência, ou simplesmente fruto do acaso. Assim sendo, assume-se uma premissa chamada de hipótese nula, ou seja, a de que ambos sejam iguais (A=B). A seguir, por meio de cálculos matemáticos (que não daria para mostrar em detalhes aqui, até porque existem diversos modelos diferentes para calcular), determina-se qual é a probabilidade de que este resultado acima (diferença de 20 mmHg) ou algo mais extremo seja encontrado assumindo-se que os dois remédios sejam iguais. Esta probabilidade é o chamado valor de P.

Com isso, quando você ler um artigo mostrando P = 0,02, por exemplo, isso significa que a probabilidade de aquilo ter ocorrido no estudo caso os dois tratamentos fossem iguais é tão pequena que nós aceitamos que a verdade no universo é a de que os dois tratamentos não sejam iguais. E o que você quer dizer com tão pequena? É que, por convenção, ela foi determinada como 0,05, ou 5%. Portanto, quando o P for < 0,05, estamos diante de um resultado estatisticamente significativo, ou seja, não parece ser mero produto da coincidência. Este é, portanto, o real significado do valor de P.

Desse modo, se eu disser a você leitor que no experimento hipotético acima o valor de P é igual a 0,11, estou dizendo que, ainda que a diferença pareça sensacional, ainda existe probabilidade de 11% de acharmos esta diferença ou algo mais extremo caso A mesmo que seja igual a B. Moral da história, não temos evidências suficientes para concluir que o remédio A de fato seja melhor.

Quer saber mais sobre este assunto? Se liga no nosso Curso de Medicina Baseada em Evidência Cardiopapers: https://lp2.cardiopapers.com.br/mbe-matriculas-perpetuo-vitrine/

 

 

REFERÊNCIAS

Kyriacou DN. The Enduring Evolution of the P Value. JAMA. 2016; 315(11):1113-5. doi: 10.1001/jama.2016.2152. https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2503156

 

Curso Cardiopapers

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Remo Holanda

1 comentário

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anúncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site

%d blogueiros gostam disto: