ECG

Série Teste Ergométrico – Alterações eletrocardiográficas

Antes de interpretar um exame, sempre devemos nos lembrar da probabilidade pré teste de um paciente ter doença coronariana. Assim, uma alteração eletrocardiográfica sugestiva de isquemia em uma mulher jovem tem uma maior probabilidade de ser um falso positivo do que uma mesma alteração em um idoso diabético.

Para avaliação de alterações isquêmicas no teste ergométrico, devemos tomar alguns cuidados. Deve haver estabilidade da linha de base referencial, sem arterfatos, com pelo menos 4 batimentos em uma linha de base estável. Devemos nos atentar para o momento da alteração apresentada e sua duração, além do número de derivações envolvidas.  

Os padrões de infra-desnivelmento de ST possíveis está mostrado abaixo.

 

Devemos considerar a dimensão do infra-desnivelamento nos seguintes pontos.

Baseado nisso, são considerados critérios de positividade:

No infra-desnivelamento com morfologia ascendente, as novas diretrizes consideram sugestivas de isquemia quanto > ou = a 1,5mm em indivíduos de moderado ou alto risco de doença coronaria; e > 2mm em indivíduos de baixo risco de doença coronariana.

Classicamente, o padrão horizontal e descendente caracterizam os critérios de positividade mais aceitos. Se houver infradesnivelamento de ST de base, subtrair o infradesnivel máximo do esforço do valor de base.

O infradesnível de ST com convexidade superior representa invariavelmente fenômeno isquêmico de origem não-obstrutiva.

O supradesnivelamento de ST tem valor localizatório, ao contrário do infradesnível. Se onda Q associada, considerar possibilidade de discinesia (significado controverso).

Devemos lembrar que alterações de onda T, como pseudonormalização ou inversão de onda T, não são consideradas critérios de positividade.

Alguns achados prejudicam a interpretação de isquemia, tais como: presença de SVE, presença de infradesnivelamento em ECG de base > 1mm, alterações de repolarização em vigência de hipocalemia ou uso de digoxina. A presença de BRE prévio, de pré-excitação ou de ritmo de marcapasso impossibilitam a interpretação do exame para avaliação de isquemia.

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Fernando Figuinha

Fernando Figuinha

Especialista em Cardiologia pelo InCor/ FMUSP
Médico cardiologista do Hospital Miguel Soeiro - Unimed Sorocaba.
Presidente - SOCESP Regional Sorocaba.

8 comentários

  • Desculpa, mas as informações quanto aos critérios de positividade diferem da última diretriz do DERC / SBC. Veja os critérios para infra retificado e ascendente. Obrigado!

    • Obrigado pela correção Oseas…as tabelas anteriores foram feitas baseadas em outra referência. Para não confundir, atualizei os dados baseados na última diretriz.

  • Figas o q vc escreveu sobre o infra ascendente nao seria sobre o infra convexo??? Até onde eu sabia o infra ascendente nunca representa isquemia e o infra convexo representa ICNO e é positivo se maior q 2mm. To errado???
    Abcos

    • Netão, o que eu coloquei no post é o que está escrito na diretriz de teste ergométrico da SBC…transcrevendo: “Consideram-se anormais e sugestivas de isquemia induzida pelo esforço, as seguintes alterações do segmento ST, na fase de exercício ou recuperação: 1) Infradesnivelamento com morfologia horizontal ou descendente (>= 1mm, aferido no ponto J); 2) Infradesnivelamento com morfologia ascendente >= 1,5mm em indivíduos de risco moderado ou alto de doença coronária; >2mm em indivíduos de baixo risco de doença coronária;aferido no ponto Y, ou seja, a 80ms do ponto J;”
      Algumas outras referências consideravam mesmo o infra ascendente >2mm como sugestivo apenas, e os demais como positivo…
      Quanto ao infra convexo, a nova diretriz não comenta muita coisa…

      Quanto à presença de FA, quando o paciente apresenta FA durante todo o exame, a avaliação de alterações eletrocardiográficas de isquemia ficam prejudicadas. Assim, não dá pra avaliar…

    • Luciano, em pacientes com repolarização precoce, a resposta esperada durante o esforço é a redução ou desaparecimento da elevação do segmento ST durante o esforço, voltando aos padrões basais durante a recuperação.

  • Olá Fernando…vc poderia me explicar esse ecg com infra convexo???considero ainda 1mm para negativo e 2mm para poisitivo em isquemia???começo a contar a partir do ponto j ou do y???? Obrigada.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: