ECG

Como suspeitar que o paciente pode ter hemorragia intracraniana pelo eletrocardiograma?

Eduardo Lapa
Escrito por Eduardo Lapa

O eletrocardiograma é um dos mais importantes métodos complementares disponíveis na medicina. Além de dar informações importantes sobre as patologias cardíacas, ainda pode sugerir a ocorrência de acometimentos fora do coração. Um bom exemplo disto é a hemorragia intracraniana. Esta, provavelmente por induzir à grande liberação de catecolaminas, pode gerar no ecg o que chamamos de ondas T cerebrais. Tratam-se de ondas T negativas, geralmente com mais de 10 mm de amplitude, simétricas, muitas vezes acompanhadas de alterações do segmento ST e aumento do intervalo Qt. 

A única causa de ondas T negativas de grande amplitude ou gigantes é a hemorragia intracraniana? Não!

Causas de ondas T negativas gigantes:

1- insuficiência coronariana aguda

2- Lesões cerebrais agudas graves (ex: hemorragia intracraniana)

3- Feocromocitoma

4- Cardiomiopatia hipertrófica forma apical (Yamaguchi)

A seguir colocamos exemplo de onda T negativa gigante de etiologia isquêmica:

onda t invertida gigante

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: