Coronariopatia ECG

Ondas Q no ECG = área eletricamente inativa?

Eduardo Lapa
Escrito por Eduardo Lapa

Não obrigatoriamente. Na maioria dos casos em que vemos ondas Q no ECG com características patológicas, estamos sim perante uma área eletricamente inativa. Contudo, há algumas exceções à regra. Exemplo:

  • no BRE pode haver presença de QS de V1 a V3 sem que isto indique AEI. Inclusive este é um dos critérios diagnósticos de BRE, como já vimos em post prévio.
  • O paciente com pré-excitação ventricular pode apresentar ondas Q patológicas em certas derivações, a depender da posição da via acessoria. Exemplo que estará presente no nosso Manual de Eletrocardiografia Cardiopapers:

wpw 1

Resumindo:

Normalmente ondas Q patológicas em 2 ou mais derivações contíguas = área eletricamente inativa

Como toda regra, esta também possui exceções. Bloqueio de ramo esquerdo e pré-excitação ventricular são bons exemplos de alterações que podem causar ondas Q com aspecto de patológicas mas sem significar AEI.

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

1 comentário

  • Lembro ainda o caso não usual da miocardiopatia hipertrófica que pode cursar até com QS de V1 a V6 com função ventricular absolutamente preservada. Acredito que o coração de SALAMANDRA explique esse fenômeno à medida que as forças elétricas se anulam. HCA5

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: