Perioperatório

Paciente com infarto recente deve aguadar quanto tempo para ser submetido à cirurgia eletiva?

cardio

Você receve um paciente no consultório que apresentou infarto agudo do miocárdio há 20 dias e que foi submetido a cateterismo cardíaco tendo sido mantido em tratamento clínico devido a presença de lesões distais em vasos finos. No momento, assintomático. Está em programação de realizar colecistectomia por crises de cólica biliar recorrentes nos últimos 6 meses. Este paciente já pode ser submetido à cirurgia?

Resposta: Não. A diretriz americana de perioperatório recomenda que o tempo mínimo que deve se aguardar após um IAM para realizar-se uma cirurgia eletiva é de 60 dias. Mas de onde veio este número? A estatística veio de um trabalho que avaliou através de banco de dados mais de 500.000 pacientes subemtidos à cirurgias não cardíacas nos Estados Unidos (referência no final do post). Neste trabalho observou-se as seguintes taxas de infarto perioperatório e de mortalidade em 30 dias ficavam, respectivamente, da seguinte forma:

se o IAM ocorreu há menos de 30 dias – 32,8% e 14,2%

se IAM entre 31 e 60 dias – 18,7% e 11,5%

Se IAM entre 61 e 90 dias – 8,4% e 10,5%

Se IAM entre 91 e 180 dias – 5,7% e 9,9%

Resumindo – após 60 dias o risco de IAM perioperatório caiu bastante em relação aos períodos anteriores. A partir deste dado optou-se por deixar em 60 dias o período MÍNIMO para cirurgia não cardíaca pós-IAM. Por que colocar o mínimo em realce? Porque, como podemos observar, o risco ainda continua elevado mesmo após este curso de tempo. Uma mortalidade de cerca de 10% em 30 dias após uma cirurgia eletiva continua sendo um valor muito elevado. Por isto, é importante nestes casos individualizar-se a conduta. A cirurgia realmente é necessária? Pode se tratar de uma cirurgia não essencial como uma cirurgia plástica a qual poderia ser postergada ou mesmo cancelada. Há alguma forma menos invasiva de se resolver o problema? Ex: aneurisma de aorta abdominal abordado por via percutânea traz menor risco de complicações cardiovasculares do que quando operado por via aberta. Pode-se esperar mais tempo para realizar a cirurgia? Quanto mais tempo se espera após um IAM para a realização de uma cirurgia eletiva, mais o risco de complicações cardiovasculares diminui, como falado acima. Tudo isto tem que ser considerado na tomada de decisão.Mas, de forma geral, se a cirurgia realmente for essencial, recomenda-se este período de 60 dias como intervalo mínimo entre IAM e procedimento cirúrgico eletivo.  

Referência: Livhits M, Ko CY, Leonardi MJ, et al. Risk of surgery following recent myocardial infarction. Ann Surg. 2011; 253:857–64.

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: