ECG

Série Teste Ergométrico – Arritmias

O teste ergométrico pode ser indicado para avaliar provocação ou indução de arritmias no esforço; para avaliar origem, complexidade e freqüência da arritmia; para controle terapêutico das arritmias e controle de resposta da FA; e para avaliar risco de morte súbita.

Em adultos com arritmias ventriculares, o TE pode ser indicado naqueles com probabilidade intermediária ou alta de DAC. Pode ser indicado também se arritmia ventricular conhecida ou suspeitada durante o esforço, em qualquer idade (inclusive em TV catecolaminérgica), e para avaliação terapêutica com betabloqueadores em TV catecolaminérgica. A arritmia ventricular freqüente em paciente coronariopata pode indicar em geral doença multiarterial e disfunção ventricular.

No caso da síndrome de Wolff-Parkinson-White, a indicação do TE é controversa. Pode ser utilizado para estratificação de risco, e permite avaliar pré-excitação intermitente.

Em relação à fibrilação atrial, considera-se que um paciente estará melhor controlado quanto mais seu comportamento cronotrópico se aproximar daquele esperado para um paciente sem FA. Se FC máxima atingida acima de 110% da máxima prevista, é necessário ajuste na terapia farmacológica. Sua presença limita a interpretação das alterações do segmento ST, devendo, portanto, utilizar teste ergométrico associado a método de imagem nesses casos.

No caso de bradicardias, a resposta de FC ao TE é um dos elementos para o diagnóstico de disfunção do nó sinusal, e é importante na escolha do tipo e característica do sensor, se indicado o marcapasso.

No BAVT congênito, a resposta de freqüência do foco juncional é fundamental para auxiliar no momento certo para o implante de marcapasso dupla câmara.

Define-se incompetência cronotrópica quando o paciente não consegue elevar a FC acima do valor máximo menos 2 desvios padrão (30bpm), se há queda da FC com o progredir do esforço, se há incapacidade de atingir 85% da FC máxima ou se tiver índice cronotrópico anormal (<80%)

   IC = [(FC máx alcançada – FC repouso)x100]  /  [(220 – idade – FC repouso)]

A presença de bradiarritmias intra-esforço (disfunção sinusal e bloqueio AV) são raros e de significado incerto.

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Fernando Figuinha

Fernando Figuinha

Especialista em Cardiologia pelo InCor/ FMUSP
Médico cardiologista do Hospital Miguel Soeiro - Unimed Sorocaba.
Presidente - SOCESP Regional Sorocaba.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: