Terapia Intensiva Cardiológica

Noradrenalina: Guia de medicamentos cardiovasculares

A noradrenalina (ou norepinefrina) é uma catecolamina sintética muito utilizada no tratamento de hipotensão grave.

Indicação:

Vasopressor.

Mecanismo de ação: age como agonista dos receptores alfa, beta 1 e beta 2 adrenérgicos, aumentando a pressão arterial sistólica e diastólica. Age aumentando o tônus vascular.

Apresentação:

Existem 2 tipos – bitartarato de norepinefrina (Levophed®) – 1 ampola = 4mg/4ml; e hemitartarato de norepinefrina (Hyponor®) – 1 ampola = 8mg/4ml de hemitartarato de norepinefrina, que equivale a 4mg/4ml de norepinefrina base (ver detalhes nesse post).

Diluição (concentração 64 mcg/ml):

              Soro Glicosado 5% 236 ml        EV em bomba de infusão contínua

  + Noradrenalina 4mg/4ml – 4 amp

      Dica prática: nessa diluição apresentada, 1 ml/h equivale aproximadamente a 1mcg/min.

Dose:

Dose inicial: 2 a 4 mcg/min. Dose média: 1 a 12 mcg/min.

   OU dose de acordo com peso: 0,01 a 3,3 mcg/kg/min.

Cuidados: uso preferencial em solução de glicose a 5%. Utilizar em infusão contínua em cateter venoso central. Manter em equipo fotossensível (para uma revisão deste tema, acessar este post). Controle frequente da pressão arterial, preferencialmente com PA invasiva.

Caso utilizado em veia periférica e ocorra extravasamento , há alto risco de escarificação e necrose da região. Assim, se ocorrer extravasamento, deve-se infiltrar com agulha hipodérmica toda a região afetada (que fica delimitada pela hipotermia e palidez) com solução salina (10 a 15ml) com 5 a 10mg de fentolamina, que é um bloqueador adrenérgico. Realizar o mais rápido possível (até no máximo 12hs).

imagem de unidade de terapia intensiva

Contra-indicações: hipersensibilidade a algum componente da fórmula. Evitar uso em trombose vascular mesentérica ou periférica. Não utilizar se hipotensão por hipovolemia, exceto se medida emergencial até que a terapia de reposição de volume possa ser realizada. Utilizar noradrenalina para manter pressão arterial sem correção adequada da volemia pode levar à vasoconstrição periférica visceral, diminuição de perfusão renal e do débito urinário, hipóxia tissular e acidose láctica.

Não associar a anestésicos como ciclopropano ou halotano pelo risco de taquicardia ventricular e fibrilação ventricular.

Evitar associação com IMAO ou antidepressivos dos tipos triptilina ou imipramina.

Efeitos colaterais: lesões isquêmicas devido à potente ação vasoconstritora. Hipertensão, angina, cefaleia, ansiedade, necrose de pele. Arritmias. Ácidose láctica.
Uso na gravidez: utilizar somente se absolutamente necessário. Desconhecido se a norepinefrina é excretada no leite materno.

Nomes comerciais: Levophed®, Hyponor®.

Deixe um comentário

Sobre o autor

Fernando Figuinha

Fernando Figuinha

Especialista em Cardiologia pelo InCor/ FMUSP
Médico cardiologista do Hospital Miguel Soeiro - Unimed Sorocaba.
Presidente - SOCESP Regional Sorocaba.

5 comentários

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: