Insuficiência Cardíaca

Como classificar a insuficiência cardíaca de acordo com a fração de ejeção do ventrículo esquerdo?

Eduardo Lapa
Escrito por Eduardo Lapa

A classificação da insuficiência cardíaca (IC) de acordo com a fração de ejeção (FE) do VE é um tema controverso. Os trabalhos que mostraram benefícios do uso de medicações como ieca e betabloqueadores nos pctes com IC randomizaram pctes com FE < 40% ou mesmo < 35%. Desta forma, a atual diretriz americana de IC considera como IC com FE reduzida os pctes com FE < ou = a 40%. Já os pctes com FE > ou = a 50% são considerados com portadores de IC com FE preservada. Por que ICcom fração de ejeção preservada ou reduzida e não IC sistólica ou diastólica? Isto se deve ao fato da maioria dos pctes com FE reduzida ter também um componente de disfunção diastólica associado. Assim sendo, os sintomas dos mesmos se devem à soma da disfunção sistólica com a disfunção diastólica.

E o grupo com FE entre 41% e 49%, como classificar? A diretriz americana coloca estes pctes como um subgrupo da IC com fração de ejeção preservada, denonimado de FE borderline. Isto se deve ao fato de não haver trabalhos revelando benefícios das medicações de IC com FE reduzida neste grupo, devendo o mesmo ser manejado como os pctes com FE >50%, segundo a diretriz.

Resumindo:

Quer dizer então que um pcte com FE de 45% tem FE preservada? Não. A classificação acima se destina mais a guiar a terapêutica de pctes com IC. Assim, basicamente diz-se que pctes com FE < 40% de beneficiam de medidas como ieca, betabloq, espironolactona, entre outros enquanto que pctes com FE > 40% não apresentaram benefícios claros com tais medidas em relação a diminuição de morbidade/mortalidade. Resumindo, é uma classificação para guiar terapêutica de pctes com quadro clínico de IC. Contudo, em termos ecocardiográficos, pctes com FE < 55% possuem fração de ejeção reduzida e devem ser investigados. Então, um pcte com FE de 45%, como citado acima, deve ser amplamente investigado para determinar-se qual a causa da disfunção de VE. Colocaremos em um futuro próximo um tópico discutindo a classificação da disfunção de VE de acordo com a FE.

Link para a diretriz americana de IC.

Publicidade

Banner Atheneu

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

9 comentários

  • Ola Eduardo. Bom dia! Muito legal o tema. Uma dúvida.. Como ficariam os laudos de eco para uma FE 44% ? Até há pouco, nós laudariamos como Disfunção contratil do VE de grau moderado… a tendencia será deixar como limitrofe? Acho que a ASE ainda usa FE normal > 0,55. Obrigado

  • alteracao da contracao segmentar difusa do ve com diminuicao moderada da funcao sistolica com fracao de ejecao 40% o perito pode me liberar para trabalhar como ajudante agradeço espero resposta

    • ola bom dia meu chamo francinaldo.tenho fraçao de 33,uso oxigenio 24 hrs o meu medico se fala muito em transplante,sera que esse e o caminho certo?

  • ainda continuando no assunto,tenho icc,fiz cirurgia,retirada de aneurisma. e uso um stent, uma mamaria e valvula,eu me enterno com frequencia,acho que ja devo esta na classe funcional 4, pelo fato de oxigenio 24 hrs,e o fato de transplante me assusta ate porque e muito burocratico,tomo muitos medicamentos e uso marca passo e tbm inalador 2 vzs ao dia…. vivo muito assustado,porque sinto que tenha agravado outros orgaos como pulmao

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: