Não categorizado

Como reconhecer os diferentes bloqueios atrioventriculares de forma simples?

Eduardo Lapa
Escrito por Eduardo Lapa

Esta publicação também está disponível em: pt-brPortuguês esEspañol

  • As bradicardias são caracterizadas por apresentarem FC < 50 bpm.
  • Podemos dividir a origem desses distúrbios em 2 grandes grupos
    • Alterações no nó sinusal
    • Alterações no nó atrioventricular

As alterações no nó AV causam os chamados bloqueios atrioventriculares (BAV). Existem diferentes graus de BAV:

BAV de 1o grau : caracteriza-se pelo prolongamento do intervalo PR, ou seja, intervalo PR > 0,20 s no adulto, mas as ondas P são conduzidas, com relação 1:1 (uma onda P para cada QRS). Exemplo:

BAV de segundo grau tipo 1: presença de progressivo aumento do intervalo PR até que uma onda P e bloqueada. O intervalo PR após a onda P não conduzida e mais curto do que o PR do intervalo que antecede a pausa. Exemplo:

BAV de segundo grau tipo 2:  caracterizado pela presença de um intervalo PR constante, com a mesma duração, antes e depois da onda P bloqueada. Na maioria dos casos tem localização infranodal e apresenta complexo QRS largo. O seu prognóstico e pior do que o de 2o grau tipo I, com maior probabilidade de progressão para BAV completo e maior associação com síncope. Exemplo:

BAV de terceiro grau ou BAV total: ausência de P conduzidas, assim não há relação entre as ondas P e o QRS (dissociação AV), com a frequência atrial maior do que a frequência ventricular. A frequência cardíaca tipicamente é baixa, geralmente entre 30 e 50 bpm. Exemplo:

OK. Tranquilo. Mas o problema é que estou aprendendo ECG agora e às vezes me confundo qual cada BAV. Algum macete para facilitar minha vida? Sim. A analogia que fazemos nos nosso cursos presenciais de ECG é a do plantonista atrasado:

BAV de primeiro grau – é aquele plantonista que sempre chega 20 ou 30 minutos atrasado, mas que nunca falta.

BAV de 2º grau tipo 1 – é a pessoa que rende o plantão sempre com atrasos maiores. No primeiro dia é de 20 minutos, depois de 30 minutos, 40 minutos e assim por diante. Até que um belo dia ele simplesmente não aparece.

BAV de 2º grau tipo 2 – é o plantonista que sempre chega na hora corretamente ate um dia, sem aviso prévio algum ou sem qualquer justificativa, faltar.

BAV de terceiro grau – aquele plantonista completamente desconectado da escala. Quando é o dia de descansar, chega pontualmente para dar plantão. Quando é o dia dele cobrir o plantão, falta sem avisar a ninguém.

Por essa analogia, quais seriam os BAVs com potencial de causar mais problemas? Justamente o de segundo grau tipo 2 e o de terceiro grau que são as pessoas que faltam sem aviso prévio. Na prática clínica, é basicamente assim também. BAV de primeiro grau dificilmente causa algum problema. O de segundo grau tipo 1 também tem comportamento benigno na maioria dos casos. Já os últimos 2 causam sintomas/instabilidade com frequência.

Gostou da dica? Quer aprender ECG de uma forma prática e direta, sem dificuldades? Indicamos nosso Manual de Eletrocardiografia Cardiopapers e nossos cursos presenciais de ECG.

Curso Preparatório

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: