Sem categoria

Novos Anticoagulantes:Quais deles escolher?

anticoagulantes orais

 

Recentemente o FDA( Estados Unidos)  aprovou o Apixaban (Eliquis, Bristol-Myers Squibb/Pfizer) para prevenção de eventos tromboembólicos e AVCs em portadores de FA não valvar, juntando-se ao rivaroxaban (Xarelto, Bayer/Johnson & Johnson) e dabigatran (Pradaxa, Boehringer Ingelheim) como os novos anticoagulantes disponíveis no mercado . Com estas 3 novas alternativas orais à varfarina é importante conhecer as peculariedades de cada medicamento em comparação com a varfarina ( marevan).

Considerações relacionadas aos novos anticoagulantes:

  • Dabigatran é um inibidor direto da trombina; Rivaroxaban e Apixaban são inibidores orais do Fator Xa;
  • A vantagem dos novos anticoagulantes relaciona-se principalmente por não necessitarem de ajustes regulares baseados no monitoramento do INR ou coleta de outros exames;
  • A Meia vida é curta nos 3 medicamentos ao contrário das  varfarina;
  • Até o momento não existem antídotos comprovadamente eficazes para reversão do efeito dos novos anticoagulantes ( não revertem com vitamina K ou Plasma Fresco Congelado);
  • Foram relacionados a redução de sangramentos intracranianos em comparação à varfarina;
  • No momento não estão aprovados para uso em próteses metálicas ( baseados em estudos com dabigatrana); ou  portadores de valvulopatia reumática ( devido ausência de evidência clínica);
  • São opções principalmente no tratamento dos pacientes com dificuldade em alcançar a faixa terapêutica de INR com varfarina;
  • O custo é consideravelmente maior se comparado à varfarina;
  • Sem estudos avaliando uso em longo prazo;
  • Devido à meia vida curta, o esquecimento de doses ou má adesão podem trazer prejuízos e riscos de eventos tromboembólicos pois o paciente estará desprotegidos.
  • Não é possível quantificação da anticoagulação ( o Dabigatran aumenta o Tempo de Coagulação, mas não está relacionado diretamente com o nível de anticoagulação);
  • Possuem menor interação medicamentosa do que a varfarina, porém interagem com os inibidores CYP3A4 (  principalmente os anti Xa);

Medicamento/ Trial

AVC / Tromboembolismo

AVC Hemorrágico

Sangramento Maiores

Dabigatran (RE-LY)

34% de redução

74% de redução

Similar

Rivaroxaban (ROCKET-AF)

Não inferior à varfarina

40% de redução

Similar

Apixaban (ARISTOTLE)

20% de redução

50% de redução

30% de Redução

  • Dabigatran reduziu mis intensamente AVC embólico, enquanto o Apixaban reduziu mortalidade e complicações hemorrágicas maiores;
  • Sangramento Digestivo foi maior com o Dabigatran ( principalmente) e Rivaroxaban e não teve diferença com Apixaban;
  • Não existem estudos comparando os novos anticoagulantes entre si;
  • Rivaroxaban é administrado em dose única diária, o que facilita adesão, enquanto os demais em duas doses ( 12/12h);
  • Todas as 3 drogas devem ser ajustadas em pacientes com Inficiência renal ( principalmente o dabigatran), podendo o ajuste ser problemático , enquanto existe ampla experiência com a varfarina;
  • O estudo ROCKET-AF que validou o Rivaroxaban, mostrou a NÃO INFERIORIDADE, equanto os estudos do dabigatran e Apixaban, demonstraram superioridade quando comparados com a varfarina;
  • Apixaban ainda não foi liberado pela ANVISA

Portanto a escolha de cada medicamento deve ser condicionada à individualização de cada paciente em comparação às características do novos anticoagulantes.

E importante lembrar que as recomedações sugerem que aqueles pacientes já adaptados ao uso da Varfarina, com INR em faixa terapêutica, portadores de próteses metálicas e portadores de valvulopatia reumática devem manter a sua utilização até que novos estudos sejam realizados.

 

Droga

Nome comercial

Laboratório

Apresentação

Aprovação pela ANVISA

Dabigatran

Pradaxa®

Boehringer

Cápsulas 75mg 110mg e 150mg

–       Prevenção de AVC em FA

–       Prevenção de TEV em pacientes submetidos a cirurgia ortopédicas de grande porte

Rivaroxaban

Xarelto®

Bayer

Comp 10mg

 

 

 

Comp 20mg e 15mg

– Prevenção de TEV em pacientes submetidos a cirurgia ortopédicas de grande porte

 

– Prevenção de acidente vascular cerebral (AVC) e embolia sistêmica em pacientes com fibrilação atrial (FA)

Apixaban

Eliquis®

Bristol

Comp 2,5mg

– Prevenção de TEV em pacientes submetidos à cirurgia ortopédicas de grande porte.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

http://nucleodeestudosemcardiologiaonline.blogspot.com.br

 

 

Adaptado de : http://www.theheart.org/article/1497581.do

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Andre Lima

Andre Lima

Editor do site --
Especialista em Cardiologia pela SBC e InCor/ USP --
Especialista em Ecocardiografia pela SBC e InCor/USP --
Especialista em Terapia Intensiva pela AMIB --

20 comentários

  • Sobre não haver antidoto comprovadamente eficazes. Eu ouvi em uma palestra recente sobre o Xarelto, rivaroxaban, que o Besiplex, um complexo pro trombinico, poderia servir como antidoto. Alguma opinião sobre?
    Além disso tanto o dabigratan quanto o rivaroxaban tbm seriam dialisaveis, mas não sei sobre o Apixaban. Alguma informação?
    Grato e parabéns pela adição de conhecimento.

  • André:
    Parabéns pela excelente revisão!
    Lembro que a rivaroxabana foi recentemente aprovada também para tratamento de TVP/prevenção de TVP recorrente.
    Guilherme:
    Concentrado de complexo pro-trombínico (CCP) mostrou reverter efeito da rivaroxabana em indivíduos saudáveis. Para dabigatrana, CCP não funcionou muito bem em humanos saudáveis e existe alguma evidência experimental de benefício com fator VIIa recombinante. CCP em sangramento importante por dabigatrana acaba sendo conduta meio empírica, na base do desespero e do quem-sabe-dá-certo.
    Dabigatrana pode ser dialisada (remoção de 60% em 2-3 hs), porém não se espera que rivaroxabana e apixabana sejam dialisadas. Isto se explica pela taxa de ligação proteica da droga: dabigatrana ~35%, rivaroxabana 92%-95%, apixabana ~87%.
    Referências: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/clc.22037/full http://www.newantithrombotics.com/2012/10/new-anticoagulant-reversal-antidotes.html
    Abçs

  • Prezada Mariza, obrigado pelo contato. Quanto a escolha ou substituição de medicamentos é algo complexo que deve levar em consideração particularidades de cada pessoa. A melhor pessoa para responder a sua dúvida é o médico da sua mãe que conhece todos as características e histórico dela. Ele ficará feliz em responder todas suas perguntas.

  • Olá Dr André, muito elucidativa a sua explicação. Eu descobri recentemente ser portadora da mutação fator X de leiden em heterozigose e após uma gestação com o uso de clexane 40mg diário, estou tomando xarelto 20mg, melhoraram minhas dores de cabeça e dores na perna, tenho uma oclusão na safena direita e refluxo na esquerda, tive tromboflebite na safena direita mas foi tratada, fiquei receosa de continuar com o xarelto, minha hemato disse ser o mais seguro e com menos restrições, será que devo insistir no marevan?

  • Olá, parabéns pelo site! Gostaria de saber se já há alguma posição da SBC ou das entidades internacionais a respeito dos novos anticoagulantes na FA em portadores de valvopatia (sem prótese mecânica).
    Obrigada

  • Dr. André, meu tem Mal de Alz. e já teve duas trombose na perna esquerda, ele tem 86 anos. O estado geral dele é bom,. ele da primeira vez tomou Marevan, agora o medico entrou com Xarelto ele já tomou quase 3 cartelas de 15mg.são 42 com. E passou o de 20 para o resto da vida dele.Só que não tenho dinheiro para comprar este remedio, o devo fazer? Grata.

  • Boa noite. Meu marido teve uma embolia pulmonar recente. A equipe de clínica médica indicou o Marevan para o tratamento. Entretanto, o médico angiologista indicou o Xarelto. Estamos ba dúvida de qual é o mais indicado e que possui menos riscos e a adaptação do organismo seja melhor. O que devemos fazer?

  • se vc morar em sao paulo, sei que a causa tem ganho certo. Voce procura um advogado e pede na Justiça que o estado é obrigado a pagar o medicamento de uso continuo ao seu parente com alz. Um abraço.

  • Olá Dr tive embolia pulmonar a 5 meses atraz devido uma lipo e só vim descobrir 5 meses depois faz 1 mês que tomei marevan e não me adaptei passei pro xarelto tem 6 dias que estou tomando ele melhorei da fraqueza mas sinto muita falta de ar e dor na cabeça e nas costas me faltam fui a um outro cardiologista e ele me indicou tomar o pradax que ele disse q não causa falta de ar e mandou eu usar striverdi 2,5 mg que é um bronquiodilatador que iria passar essa falta de ar seria indicado pro meu caso Dr

  • Jackson, Xarelto costuma ser o mais adaptável e seguro dentre estas 3 drogas modernas, com raras excessões. Converse francamente com seu médico e procure segundas opiniões em caso de dúvidas persistentes. Fique bem!

  • Boa tarde! sou portadora de Deficiencia da proteina S e toma marevan há 10 anos. Minha dúvida é… existe alguma medicação nova que eu pudesse estar tomando, sem precisar fazer esse controle mensal de RNI?

  • André Lima o anticoagulante Beta30 não substituí algum desses medicamentos caros? Eu tive um problema nas pernas e meu sangue estava coagulado e elas doiam e ficaram muito inchadas. O médico me passou esse remédio que é injetavel e tem duração de 30 dias no corpo. Eu melhorei em três dias. Como tenho cálculos renais e diuréticos são perigosos graças a Deus não preciso usar mais. Minha dúvida é: essas pessoas que estão tomando o xarelto 20mg não podem usar essa medicação? Aqui em Brasília custa só 15 reais.
    Desde já agradeço a atenção dispensada.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: