Sem categoria

Ergoespirometira: Variáveis ( Parte 2)

Como comentamos no artigo de introdução à ergoespirometria, hoje faleremos sobre as variáveis obtidas por este método.

A ergoespirometria analisa parâmetros da fisiologia do exercício. As pricipais variáveis que devemos conhecer são a VO2 máx, o RQ, equivalentes respiratório (VE/VO2 e VE/VCO2), Limiar anaeróbico,  Limiar de compensação respiratória e VVM.

  • Consumo Máximo de Oxigênio ( VO2Máx): é uma medida objetiva  da capacidade funcional  referente ao esforço máximo realizado . É obtido submetendo o indivíduo a esforços com cargas crescentes e analisando as frações expiradas de oxigênio e dióxido de carbano além da ventilação pulmonar.

Dica de como saber se foi alcançado o VO2 Máximo:

a) presença de RQ (VCO2/VO2) >1.1;
b) existência de um limiar anaeróbio (limiar delactato);
c) VE >60% da máxima prevista;
d) eventual presença de um platô no VO2 diante de um aumento na carga de esforço.
Estes dados, concomitantes à avaliação de FC atingida e a sensação subjetiva de esforço podem assegurar um teste máximo.

Obs: Quando o indivíduo não atinge o VO2 Máximo, o maior VO2 é chamado de VO2 Pico.

  • RQ ou Quociente respiratório e/ou razão de troca respiratória ou QR=VCO2/VO2: É a  relação entre o CO2 produzido e o O2 consumido. Em repouso o valor permanece ao redor de 0,7 e reflete o metabolismo predominante de lipídeos. No esforço progressivo o metabolismo gradativamente utiliza carboidratos como fonte de energia, chegando a >1,1 no esforço máximo;
  • VE ou Ventilação – Minuto: Volume total respirado em 1 minuto.
  •  Equivalente Respiratório de Oxigênio (VE/VO2) ou CO2:(VE/VCO2): Reflete quantos litros de ar por minuto são necessários e devem ser ventilados para consumir 100mL de O2 (normal: 2,3a 2,8L/100mL) ou para produzir em CO2. Durante o esforço progressivo, as relações VE/VO2 e VE/VCO2 primeiro diminuem, para depois virem a aumentar até o final do esforço.
  • 1 Limiar ou Limiar Anareróbico (LA): Caracteriza o limite entre a fase do exercício predominantemente aeróbia e a fase que inicia a acidose metabólica compensada pelo aumento da ventilação. Ocorre aproximadamente a 40% a 60% do VO2 pico podendo aparecer mais tarde em indivíduos sedentários.

DICA PRÁTICA PARA DETEMINAR O LIMIAR ANAERÓBICO ( pelo menos 2 critérios):

  1. Análise das curvas VO2 e VCO2 : As curvas referentes a VO2 e VCO2 perdem a linearidade ( aproximação das curvas);
  2. VE/VO2 mais baixo antes de aumentar;
  3. Menor Valor de de PetO2 antes de aumentar;
  4. V-Slope: Técnica de avaliação computadorizada com cálculos de regressão que analisa a perda de linearidade entre a produção de CO2 e Consumo de Oxigênio ( avaliação do gráfico);
  5. VE: Primeiro Incremento

 

  • 2 limiar ou Ponto de Compensação Respiratória ( PCR) : Define a fase do exercício com predomínio do metabolismo anaeróbio onde a acidose metabólica está descompensada.

DICA PRÁTICA PARA DETERMINAR O PONTO DE COMPENSAÇÃO RESPIRATÓRIA:

  1. PetCO2 mais alta antes de sua queda abrupta;
  2. VE/VCO2: Valor mais baixo antes de aumentar;
  3. VE: Segundo incremento ( despropocional ao aumento de VCO2) – Reflete hiperventilação
  4. Perda da linearidade entre VE e VCO2

 

  • VVM ou Ventilação Voluntária Máxima: Ventilação máxima de um indivíduo em repouso em período de tempo pré determinado
  • Reserva Respiratória: Reflete a reserva ventilatória de um indivíduo. Na prática, é a quantificação de quanto um indivíduo pode aumentar sua ventilação quando submetido ao esforço ou voluntáriamente. É calculada por 1-VE/VVM. É Normal se > 30% e anormal se < 30% ( indicando comprometimento respiratório)

 

TESTE SEU CONHECIMENTO:

 

CLIQUE NO LINK ABAIXO PARA VER O LAUDO:

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Andre Lima

Andre Lima

Editor do site --
Especialista em Cardiologia pela SBC e InCor/ USP --
Especialista em Ecocardiografia pela SBC e InCor/USP --
Especialista em Terapia Intensiva pela AMIB --

1 comentário

  • Caro André, boa tarde. Não seria interessante agregar à aquisição dos dados um tratamento digital de sinais (filtro de Kalman por exemplo) de modo a tratar os sinais provindos de algum erro de aquisição digital tendo em vista a correta determinação dos pontos de mudança de comportamento das curvas em questao? Digo isso pois analisando meus exames, encontrei o ponto correto do LA um pouco a diante ao que o software detectou. Isso vou devido a uma medição mais baixa de um ponto, porém se analisar por mera curva de tendência já sabemos que o ponto não deveria ser considerado.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: