Coronariopatia Valvopatias

Paciente vai para revascularização miocárdica e tem refluxo mitral associado: o que fazer?

Eduardo Lapa
Escrito por Eduardo Lapa

Esta publicação também está disponível em: pt-brPortuguês esEspañol

Já falamos das recomendações da diretriz americana de 2017 sobre este ponto. Resumindo, o que fazer com um paciente com coronariopatia multiarterial que vai para cirurgia de revascularização miocárdica e possui refluxo mitral funcional? Opero a mitral também ou deixo quieto? Aqui vão as recomendações da diretriz americana:

  • se o refluxo for de grau importante, recomenda-se operar também a valva (recomendação IIa)
  • se o refluxo for de grau moderado, o papel da cirurgia valvar é incerto (recomendação IIb)

E a diretriz brasileira de IC? O que diz?

  • “Reparo valvar mitral cirúrgico (troca ou plastia) associado, quando existe indicação formal de revascularização miocárdica, para pacientes com IM secundária grave, apesar de tratamento clínico otimizado” – recomendação IIa

Ou seja, mantida a mesma posição dos americanos. Dica importante para a prática clínica.

Referência: Comitê Coordenador da Diretriz de Insuficiência Cardíaca. Diretriz Brasileira de Insuficiência Cardíaca Crônica e Aguda. Arq Bras Cardiol. 2018; 111(3):436-539

Curso Preparatório

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: