Arritmia

É seguro fazer teste ergométrico em pacientes com CDI?

O teste ergométrico pode ser pedido para pacientes com cardio-desfibrilador implantável (CDI) para avaliar a indução de TV/FV durante o esforço e para avaliar a deflagração de terapias inapropriadas, além de outras indicações clássicas para esse exame.

A realização do teste ergométrico em pacientes com cardio-desfibrilador implantável pode ser segura desde sejam tomados alguns cuidados. Trabalhos realizados em pacientes com CDI mostram que o limite de FC entre 75-85% da FC máxima é seguro. Devemos ter a preocupação também em relação ao limite de corte da primeira zona programada. O limite de segurança que se mostrou seguro foi FC 10 a 20 batimentos da primeira zona. Caso a programação da primeira zona de corte esteja muito aquém da FC almejada, será necessário desativar ou reprogramar o sistema temporariamente.

Antes do TE, devemos: calcular a FC sub-máxima; dispor da programação (principalmente das FC de cortes das zonas e respectivas terapias); estar com imã acessível e revisar do desfibrilador externo. Caso a FC alvo seja menor que o limite de segurança calculado, desativar temporariamente o dispositivo com imã sobre o gerador ou com o programador específico (preferencialmente).

Segundo a última diretriz de TE da SBC, a indicação de teste ergométrico para avaliar portadores de CDI é considerado indicação classe IIb.

Curso Preparatório

Banner Atheneu

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Fernando Figuinha

Fernando Figuinha

Especialista em Cardiologia pelo InCor/ FMUSP
Médico cardiologista do Hospital Miguel Soeiro - Unimed Sorocaba.
Presidente - SOCESP Regional Sorocaba.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto:
X