Sem categoria

Ergoespirometria , O que é? – 1 parte

A ergoespirometria ou teste cardiopulmonar é um exame complementar  ainda desconhecido de muitos médicos no brasil. É uma ferramenta valiosa na investigação de dispnéia ( padrão ouro), na reabilitação  cardiovascular e na  otimização do condicionamento físico para atletas e sedentários.

É caracterizado pela realização de um teste ergométrico convencional associado a um mecanismo de análise de parâmetros ventilatórios e gasimétricos.

E qual a vantagem com relaçao ao Teste Ergométrico convencional?

No teste Ergométrico convencional, a avaliação é cardiocirculatória com análise do ECG, Pressão arterial, nível de cansaço subjetivo, queixas clínicas ( angina, claudicação, dispnéia) e estimativa por fómulas de variáveis respiratórias/ metabólicas (por exemplo consumo de oxigênio). Já a Ergoespirometria permite a avaliação global das respostas ao exercício envolvendo os sistemas cardiovascular, respiratório, hematopoético, e músculo esquelético. É uma avaliação predominantemente CARDIOPULMONAR.

Material Necessário para Realização do procedimento:

– Ergômetro: Esteira, Bicicleta, escada, caiaque, ergometria de membros superiores. O melhor será o da modalidade que o paciente praticará ( no casos  de atletas e prescrição de atividade física) ou no que o paciente mais se adapta e se sente seguro;

– Monitor de ECG dinâmico  com derivações convencionais do Teste ergométrico e Impressora para registro de traçados;

– Sistema de análise de gases e parâmetros de função pulmonar ( Espirômetro): Pneumotacógrafos e sensores de fluxo ( por exemplo os da marca Vmax Encore 229);

– Equipe  técnica capacitada para realização de Teste Ergométrico, espirometria e calibração

POSSÍVEIS INDICAÇÕES:

  1. Avaliação de tolerância e prescrição a exercícios físicos ( capacidade / incapacidade funcional) ;
  2. Avaliação diagnóstica de Dipnéia aos esforços ;
  3. Avaliação de pacientes com doenças cardiovasculares ( capacidade funcional e prognóstico em ICC, Indicação para TX cardíaco, ajuste de marcapasso, etc)
  4. Avaliação de pacientes com Doenças e sintomas respiratórios (comprometimento funcional, Broncoespasmo induzido pelo esforço etc);
  5. Avaliação perioperatória ( ressecção pulmonar; idosos com proposta de cirurgia abdominal extensa)
  6. Reabilitação pulmonar e cardiovascular;
  7. Avaliação no transplante cardíaco, pulmonar e duplo.

Nos proximos artigos comentaremos à respeito dos aspectos técnicos do procedimento.

EM BREVE:

-Ergoespirometria, quais parâmetros respiratórios avaliar?

-Ergoespirometria, Diagnóstico diferencial de dispnéia aos esforços?

REFERÊNCIAS :

  1. ATS/ACCP Statement on Cardiopulmonary Exercise Testing
  2. II Diretrizes da Sociedade Brasileira de Cardiologia Sobre Teste Ergométrico

Deixe um comentário

Sobre o autor

Andre Lima

Andre Lima

Editor do site --
Especialista em Cardiologia pela SBC e InCor/ USP --
Especialista em Ecocardiografia pela SBC e InCor/USP --
Especialista em Terapia Intensiva pela AMIB --

2 comentários

  • Muito bom e esclarecedor artigo.

    Gostaria de perguntar se o VO2 max é o VO2 na máxima FC ou o VO2 máximo atingido durante o teste ergoespirométrico. P. ex. o indivíduo atinge VO2 de 49% em FC 200 bpm e VO2 de 51,16% em 195 Bpm. Qual o VO2 máximo?
    Obrigado, Andrei

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: