Sem categoria

Novo guideline europeu de valvopatias – parte 8

ESTENOSE AÓRTICA – parte 4

– Quando pensar em colocar prótese aórtica percutânea ao invés de realizar cirurgia de troca valvar em pctes com estenose aórtica (EAo) grave? A principal situação é quando o pcte tem um alto risco cirúrgico. Isto pode ser medido objetivamente por um euroscore logístico > 20% ou por mortalidade perioperatória > 10% calculada pelo STS. Contudo, sabemos que todos os escores têm limitações. Assim sendo, o mais recomendado é que o pcte seja avaliado pelo chamado heart team (cardiologista clínico + cirurgião cardíaco + hemodinamicista). Caso esta junta médica julgue que o pcte tem um risco cirúrgico proibitovo ou muito alto – considera-se a possibilidade de implante percutâneo de valva aórtica (TAVI).

– Quais as contraindicações absolutas ao uso de TAVI?

   – expectativa de vida < 1 ano

   – outros valvopatias importantes que estejam colaborando com a clínica do pcte e que só possam ser tratadas por cirurgia (EX: insuficiência mitral importante)

   – tamanho do anel aórtico inadequado (<18 mm ou > 29 mm)

   – trombo no VE

   – endocardite infecciosa ativa

   – risco elevado de oclusão de óstio coronariano 

   – placas com trombos móveis em aorta

   – caso opte-se por via femoral ou subclávia – via de acesso inadequada (calcificação, tortuosidade, etc)

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: