Hipertensão arterial sistêmica Manchetes da Semana

O que é hipertensão do avental branco? Veja o que diz a nova diretriz.

Thiago Midlej
Escrito por Thiago Midlej

Chamamos de hipertensão do avental branco (HAB), ou hipertensão do jaleco branco, quando um(a) paciente não é hipertenso, ou seja, tem pressão arterial controlada em casa ou no trabalho mas, no consultório, a pressão está elevada.

Os dados epidemiológicos são imprecisos, mas estima-se que ocorre em aproximadamente 15 a 30% dos casos.

E como diagnosticamos ser o paciente portador de HAB? Quando há valores anormais na medida da PA no consultório, ou seja, ≥ 140/90 mmHg e valores normais de PA pela MAPA (monitorização arterial da pressão arterial) durante o período de vigília ou pela MRPA (medida residencial da pressão arterial) ≤ 135/85 mmHg. No I posicionamento sobre MAPA e MRPA recentemente publicado é considerado uma definição alternativa para a HAB quando há PA no consultório ≥ 140/90 mmHg e média de PA de 24 horas < 130/80 mmHg. Por que a mudança? O motivo de usar a média das 24h e não a da vigília é devido a estudos recentes que mostram a importância da PA durante o sono como preditora de eventos cardiovasculares.

Atenção!!

Não confunda HAB com efeito do jaleco branco (EJB). O EJB ocorre em pacientes portadores de hipertensão arterial sistêmica, ou seja, já com diagnóstico de hipertensão, e é definido como o valor referente à diferença entre a medida da PA no consultório e a média da MAPA na vigília ou da MRPA (≥ 135/85 mmHg). Considera-se efeito do avental branco significativo quando essa diferença for superior a 20 e 10 mmHg, respectivamente, nas pressões sistólica e diastólica.  Observe que esta diferença não muda o diagnóstico do paciente, ele continua sendo classificado como hipertenso.

Hipertensão do avental branco – paciente não é hipertenso. Sua pressão fica elevada apenas nas medidas de consultório sendo normal quando feitas fora do ambiente médico.

Efeito do jaleco branco – paciente é hipertenso mas suas medidas no consultório são ainda mais altas do que as que apresenta em casa.

Alguns estudos apontam que a HAB apresenta risco cardiovascular intermediário entre normotensos e hipertensos e portanto, esses pacientes devem ser considerados no contexto do risco cardiovascular global, devendo permanecer em seguimento clínico com orientações de mudanças de estilo de vida

Referência: I Posicionamento sobre Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial de 24 Horas (MAPA) e Monitorização Residencial da Pressão Arterial (MRPA) Nobre F, Mion Jr. D, Gomes MAM, Barbosa ECD, Rodrigues CIS, Neves MFT et al. I Posicionamento sobre Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial de 24 Horas (MAPA) e Monitorização Residencial da Pressão Arterial (MRPA).  Arq Bras Cardiol 2018; 110(4Supl.1):1-29

Publicidade

Banner Atheneu

Banner Curso Pré Operatório

Deixe um comentário

Sobre o autor

Thiago Midlej

Thiago Midlej

Especialista em Cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia​ e pelo Instituto do Coração da Faculdade de Medicina de São Paulo - I​NCOR​​.
Pós graduando da Unidade de Hipertensão do​​ I​NCOR​
Médico plantonista da Unidade Clínica de Emergência do INCOR
​​Cardiologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto:
X