Coronariopatia Prevenção

Prescrever ou não aspirina como prevenção primária?

Remo Holanda
Escrito por Remo Holanda

Esta publicação também está disponível em: pt-brPortuguês esEspañol

Homem, 71 anos, diabético, hipertenso e ex-tabagista (parou ha > 20 anos), sem histórico de doença cardiovascular, passado de hemorragia digestiva por ulcera péptica ha 20 anos, autolimitada, sem recorrência desde então apos erradicação de H. pilori e uso de IBP. Que tratamento antitrombótico este paciente deve receber para prevenção primaria?

Resposta abaixo

Resposta: D) Nenhuma das anteriores

Baseado em recentes estudos randomizados, o novo guideline de prevenção primaria do American College of Cardiology/American Heart Association recomenda o uso de aspirina em pacientes sem histórico de doença cardiovascular como classe IIb, somente quando se admite que o risco de hemorragia seja baixo. Em pacientes com mais de 70 anos ou com alto risco de sangramento, o mesmo guideline considera aspirina em prevenção primaria como classe III. No estudo ASCEND, em pacientes diabéticos, a aspirina em baixa dose reduziu de maneira significativa os eventos isquêmicos vasculares mas as custas de aumento quase similar de sangramento clinicamente importante. No estudo ASPREE, em pacientes com mais de 70 anos, o uso de aspirina em prevenção primaria não reduziu eventos cardiovasculares e além disso se associou a aumento de mortalidade global.

Curso Preparatório

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Remo Holanda

Remo Holanda

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: