Sem categoria

Curso básico de eco – o que é vena contracta?

Eduardo Lapa
Escrito por Eduardo Lapa

Um dos grandes papéis da ecocardiografia é o de definir a gravidade das valvopatias e assim auxiliar o cardiologista clínico a decidir sobre a indicação cirúrgica neste grupo de pctes. Quando se avalia um paciente com insuficiência aórtica ou mitral ao ecocardiograma existem inúmeros parâmetros a serem considerados antes de se definir a gravidade da valvopatia. Como já diziam – quando há vários parâmetros é porque nenhum deles é realmente decisivo. Verdade. Cabe ao ecocardiografista lançar mão de todos os artifícios possíveis para chegar a um consenso.

Um dos parâmetros que serve para graduar tanto a IAo quanto a IM é a vena contracta. Trata-se da porção mais estreita do refluxo em usa origem (justaposto ao plano valvar). Quanto mais larga esta porção – mais grave é o refluxo. É um método tido como específico para indicar a gravidade da valvopatia pelo consenso da sociedade americana de eco. Quando maior que 6mm na IAo ou quando maior que 7mm na IM – indica que a valvopatia é grave. Quando menor que 3 mm nos 2 casos – leve. Na zona intermediária – o índice perde um pouco o poder de acurácia e assim o ecocardiografista deve avaliar outros parâmetros para bater o martelo.

No caso de mais de um jato regurgitante, não se deve somar os valores das venas contractas. Assim, 2 jatos com vena de 4mm não é igual a um jato com vena de 8mm (o qual seria uma regurgitação grave…).

Aqui embaixo tem um vídeo insuficiência mitral secundária a prlapso de valva mitral.

A medida da neva contracta é feita na parte mais estreita do fluxo colorido, logo ao nível do plano valvar.

 

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: