Hipertensão arterial sistêmica

Feocromocitoma – revisão – diagnóstico

globo1

– Quais pctes devem ser investigados para feocromocitoma?

1- Pacientes com sintomas sugestivos (ex: tríade de cefaleia + sudorese + palpitações)

2- HAS refratária ao tratamento usual ou que se apresenta com paroxismos (picos hipertensivos alternados com momentos de PA normal)

3- Pacientes com nódulo adrenal identificado por algum exame de imagem (ex: pcte fez uma tc de abdome para avaliar fígado e terminou sendo detectado um incidentaloma adrenal)

4- Pacientes com síndromes que aumentam o risco de feocromocitoma (ex: NEM 2a, Von Hippel-Lindau)

– O exame diagnóstico inicial para a investigação de suspeita de feocromocitoma normalmente é a dosagem de catecolaminas e metanefrinas fracionadas na urina de 24h. As catecolaminas avaliadas são norepinefrina, epinefrina e dopamina. As metanefrinas são a metanefrina e a normetanefrina. 

–  Caso estejam com valores aumentados, fala a favor de feocromocitoma. 

– Que situações podem atrapalhar a interpretação da dosagem de metanefrinas/catecolaminas na urina de 24h?

1- uso de algumas substâncias (ex: tricíclicos, etanol, levodopa, anfetaminas)

2- Situações de estresse agudo (ex: IAM, IC descompensada, sepse) que podem causar elevação fisiológica de catecolaminas. 

– Também há a possibilidade de se dosar as metanefrinas fracionadas em amostra isolada de sangue. Apresenta a vantagem da coleta (enquanto que a urina tem que ser armazenada adequadamente durante 24h o exame de sangue é feito com uma única punção). Desvantagem – presença de vários fatores confundidores o que diminuiu a especificidade do exame principalmente em pctes idosos. 

– Teste de supressão com clonidina – pouco utilizado atualmente já que a dosagem de metanefrinas/catecolaminas fracionadas na urina de 24h é bastante sensível e específica.

– Uma vez feito algum dos testes bioquímicos acima e tendo sido demonstrado aumento de secreção de catecolaminas e/ou metanefrinas, passa-se para o próximo passo da investigação diagnóstica que é fazer um exame de imagem para procurar o tumor. Como dito no post anterior, cerca de 90% destes tumores encontram-se na adrenal. Uma parcela significativa dos tumores que se localizam fora desta glândula fica no abdome ou na pelve. Assim, o exame de imagem inicial que se solicita é a tomografia ou a ressonância magnética de abdome E pelve. Os exames têm acurácicas similares, de forma geral.

– Dica – o feocromocitoma tem um característica peculiar na RNM que ajuda a diferenciar de outros tumores adrenais – ele apresenta hipersinal em T2 enquanto os outros tumores adrenais são isointensos. 

– Caso os testes bioquímicos tenham sido alterados mas o exame inicial de imagem (TC ou RNM) tenha sido negativo – pode-se realizar uma cintilografia com MIBG para procurar focos extra-abdominais de tumor secretivo de catecolaminas. 

Fonte: Uptodate – Clinical presentation and diagnosis of pheochromocytoma

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

1 comentário

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: